Federação Paulista de Volleyball

FPV

Vôlei Futuro recebe Fiat/Minas em Araçatuba

11 jan 2008

Rio de Janeiro – No confronto deste sábado (12.01) entre o Vôlei Futuro (SP) e o Fiat/Minas (MG), duas campeãs mundiais juvenis na República Dominicana, em 2001, estarão em quadra. Trata-se da meio-de-rede Juliana Saracuza, do time paulista, e da levantadora Fabíola, da equipe mineira. A partida, válida pela segunda rodada do segundo torneio da fase classificatória da Superliga feminina de vôlei 07/08, está programada para as 18h, no ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba (SP).

As duas equipes não estrearam bem no segundo torneio da fase classificatória. O Vôlei Futuro, em casa, foi derrotado de virada por 3 sets a 2 pelo Mackenzie Cia do Terno (MG). Já o Fiat/Minas, atuando em São Caetano do Sul, não conseguiu impedir a vitória do São Caetano/Detur por 3 sets a 1. O time de Araçatuba busca a segunda vitória na Superliga. Jogou cinco vezes, perdeu quatro, ganhou uma e ocupa a oitava colocação na classificação geral. Já a equipe mineira está na terceira colocação, com três vitórias e duas derrotas, em cinco partidas disputadas.

Mais três duelos movimentarão a segunda rodada. Na sexta-feira(11.01), Rexona-Ades (RJ) x Sport/Maurício de Nassau (PE), às 20h30, no ginásio do Tijuca T.C., no Rio de Janeiro. No sábado (12.01), São Caetano/Detur (SP) x Mackenzie Cia do Terno (MG), às 16h, no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul (SP). Na segunda-feira(14.01), Brasil Telecom (SC) x Pinheiros/Blausiegel (SP), às 20h30, na Arena Multiuso, em Brusque (SC), com transmissão do canal Sportv.

As campeãs mundiais juvenis, Juliana e Fabíola, vêem um confronto equilibrado. “Espero fazer um bom jogo. O Boni não tem dado refresco para o grupo. Temos treinado em dois períodos. Não existe favorito. Iremos buscar a vitória com bastante raça”, diz Juliana.

Eleita a melhor levantadora da primeira rodada do segundo torneio, Fabíola sabe que o Fiat/Minas precisará se superar para alcançar a vitória. “Acredito em uma partida muito difícil. O Vôlei Futuro está bem entrosado. A Ana Maria (levantadora) e a Suellen (líbero) estão fazendo uma ótima Superliga. Qualquer uma das equipes pode sair vencedora. Nesta edição da Superliga, os times estão com um bom nível técnico e equilibrados”, conta Fabíola, que tem como companheira na equipe mineira a oposto Ciça, que em 2001 também foi campeã mundial.

Nas estatísticas oficiais da Superliga feminina, Fabíola está bem posicionada no ranking do levantamento: é a segunda colocada, com 30,88% de eficiência, atrás apenas de Dani Lins, do Rexona-Ades (33,07%). A levantadora do Vôlei Futuro, Ana Maria, é a terceira colocada (27,37%).

Entre as equipes, o Fiat/Minas lidera dois fundamentos: o levantamento (26,16%) e o bloqueio (26,25%). Já o ranking no qual o Vôlei Futuro está mais bem posicionado é o levantamento: terceiro colocado (21,29%).

As equipes ainda têm nos seus elencos outras jovens campeãs mundiais com as Seleções Brasileiras de Base. Em 97, a ponteira Thais, do Fiat/Minas, sagrou-se campeã mundial infanto-juvenil. Em 2005, o Brasil sagrou-se campeão nos Mundiais das duas categorias. Na infanto, a meio-de-rede Camila Monteiro e a oposto Priscila, também do time mineiro, foram campeãs infanto-juvenis. Dois anos mais tarde, as duas novamente subiram ao lugar mais alto do pódio, só que desta vez no Mundial juvenil. Em 2005, na Seleção juvenil campeã mundial estavam a ponteira do Fiat/Minas, Fernanda Garay, e a levantadora Camila Torquette e a líbero Suelen, do Vôlei Futuro.

A geração campeã na República Dominicana, sob o comando do técnico Antônio Rizola – atualmente treinador do Mackenzie Cia do Terno (MG) – revelou outros nomes para o voleibol brasileiro: Sassá, Sheilla, Paula Pequeno e Jaqueline.

A partida entre Vôlei Futuro e Fiat/Minas promete destaques individuais nas duas equipes. Do lado da equipe de Araçatuba, a oposto Marci é a atacante mais perigosa da equipe. Marci é, até o momento, a quarta maior pontuadora da Superliga feminina, com 79 pontos – 75 de ataque, um de bloqueio e três de saque. A jogadora foi a maior pontuadora da última rodada, com 23 pontos no confronto contra o Mackenzie Cia do Terno.

Do lado do Fiat/Minas, duas jogadoras estão entre as 10 mais bem posicionadas entre as maiores pontuadoras. A ponteira Thais é a terceira colocada (87 acertos – 72 de ataque, 12 de bloqueio e três de saque) e a também ponta Fernanda Garay está na sexta colocação, com 75 pontos – 61 de ataque, 11 de bloqueio e três de saque.

No ataque, Fernanda Garay é o destaque do Fiat/Minas, na quarta colocação (23,23%), enquanto Marci é a mais bem posicionada do Vôlei Futuro, em sexto lugar (22,40%). No bloqueio, a central Marina, do Fiat/Minas, é a sétima colocada (24,44%).

Na defesa, enquanto o Fiat/Minas tem uma representante – Fernanda Garay (sétimo lugar – 42,42%) – entre as 10 mais bem ranqueadas, o Vôlei Futuro tem duas. As atacantes Marci, oitava colocada (41,38%), e Vivi, 10ª (39,29%). Na recepção, quem aparece novamente é Fernanda Garay, do Fiat/Minas. A atacante é a sexta colocada, com 43,44% de eficiência.

EQUIPES

VÔLEI FUTURO – Ana Maria, Marci, Fernanda, Vivi, Juliana Saracuza e Iza. Líbero – Suelen. Técnico – Marco Antônio Di Bonifácio, o Boni

FIAT/MINAS – Fabíola, Juliana, Fernanda Garay, Thais, Juciely e Marina. Líbero – Mariana. Técnico – Carlos Alberto Castanheira, o Cebola

Fonte: CBV

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560