Federação Paulista de Volleyball

FPV

Sollys/Osasco a um passo da nona final consecutiva

05 abr 2010

 

Fonte: CBV

Pinheiros/Mackenzie tenta igualar a série das semifinais

Rio de Janeiro (RJ) – De um lado, o Sollys/Osasco (SP) busca chegar à nona final consecutiva da Superliga Feminina de vôlei. Do outro, o Pinheiros/Mackenzie (SP) luta para, pela primeira vez, disputar o título da principal competição entre clubes do Brasil. E, nesta terça-feira (06.04), as equipes estarão frente a frente para a disputa do segundo jogo da série semifinal da edição 09/10. O duelo será realizado no ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo, e começará às 18h30, com transmissão ao vivo do canal Sportv.

No primeiro confronto, melhor para o Solly/Osasco, que, em casa, venceu por 3 sets a 1. Se ganhar, a equipe dirigida pelo técnico Luizomar de Moura garantirá um lugar na decisão da competição, no dia 18 de abril, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Para o Pinheiros/Mackenzie, só a vitória interessa para igualar a série e forçar o terceiro jogo. Se necessária, a terceira partida será disputada no sábado (10.04), a partir das 11h, no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP).

Paulo Coco: “É possível virarmos esse placar”

Mesmo com a derrota, o técnico do Pinheiros/Mackenzie, Paulo Coco, está confiante e acredita na virada da sua equipe. “Que conhece bem o time do Pinheiros sabe que não desistimos nunca. Temos um grupo que não se entrega. No Campeonato Paulista também perdemos a primeira partida, viramos o jogo e fomos campeões. Temos a consciência de que não está nada perdido e que é possível virarmos esse placar. Mas sabemos que para vencer o Sollys/Osasco teremos de jogar no nosso limite”, avalia o treinador.

No primeiro confronto, o Pinheiros/Mackenzie, depois de vencer o terceiro set, chegou a estar vencendo a quarta parcial por quatro pontos de vantagem (18/14), mas não conseguiu administrar a diferença, e viu o Sollys/Osasco fechar o set e a partida.

“Jogamos bem. Começamos todos os sets bem. No primeiro, sofremos com o saque da Carol (levantadora do Sollys/Osasco). No segundo, não soubemos aproveitar as oportunidades que tivemos. Na terceira parcial tivemos uma excelente atuação e vencemos. No quarto set estávamos bem até a parada do jogo com a falta de luz. Depois, cometemos muitos erros, acima da média da nossa equipe”, disse Paulo Coco.

E para buscar a vitória e ainda lutar por um lugar na final, Paulo Coco sabe que o caminho é tentar diminuir força do ataque do Sollys/Osasco. “A Jaqueline fez uma partida brilhante e fez a diferença. Além dela, a Carol sacou muito bem e distribuiu o jogo com habilidade. Precisamos estar atentos para tentar minimizar a força do ataque adversário”, completa o treinador, que ainda não definiu a equipe que começará o duelo.

Fernanda Garay e Natália estão na briga pelo posto de maior pontuadora

 

No ranking das maiores pontuadoras da Superliga, dois nomes estão prestes a cair de posição. Tandara, da Cativa/Oppnus (SC), com 428 pontos, e Nancy Metcalf, da Usiminas/Minas (MG), com um ponto a menos, ocupam as duas primeiras colocações. No entanto, na terceira colocação está a ponteira Fernanda Garay, do Pinheiros/Mackenzie, com 426 acertos.

E Garay poderá assumir a liderança do ranking e sua adversária direta nesta liderança é sua adversária nas semifinais. Quarta colocada, a oposto Natália, do Sollys/Osasco, acumula 398 pontos.

“Não seria nada mal terminar como maior pontuadora da Superliga. Mas o meu foco, assim como de todo o time, é o título da Superliga. Estamos há quatro temporadas batendo na trave. Queremos muito essa conquista”, destaca Natália, que no Domingo de Páscoa (04.04) completou 21 anos.

Além de estar bem posicionada entre as maiores pontuadoras, Fernanda Garay está bem em outros dois fundamentos. Lidera o ranking de bloqueio, com 31,73% de eficiência, e é a segunda colocada no ataque, com 26.27%.

E é justamente a força de Fernanda Garay que preocupa Natália. “Para vencer novamente, precisamos segurar as ponteiras do Pinheiros. A Fernanda Garay está fazendo uma Superliga praticamente perfeita. A Jú Costa também está muito bem. Sabemos que esta partida será bem complicada porque o Pinheiros virá com tudo porque será a última chance deles de ir para a final. E elas não vão querer perder de jeito algum”, destaca Natália.

Natália conta que, neste momento, é preciso controlar o aspecto psicológico. “A ansiedade é grande. Trabalhamos a temporada inteira para chegar a esta decisão. Precisamos controlar bastante a nossa cabeça e só pensar em coisas positivas”, encerra Natália.

Os números

O Sollys/Osasco mostra sua força nas estatísticas oficiais da Superliga Feminina. A equipe de Osasco lidera quatro dos seis rankings: bloqueio (24,52%), levantamento (25,97%), defesa (47,76%) e recepção (47,14%).

Já o Pinheiros/Mackenzie tem o melhor rendimento na recepção, onde está em segundo lugar (46,99). O time da capital paulista está na terceira colocação no levantamento (20,74%) e no bloqueio (22,44%).

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560