Federação Paulista de Volleyball

FPV

Segunda rodada das quartas pode decidir semifinalistas

23 abr 2009

 


Fonte: CBV


 


Rio de Janeiro – Quatro decisões. Este será o clima da segunda rodada das quartas-de-final da Superliga Masculina de vôlei 08/09, que terá início nesta terça-feira (24.03). E a emoção promete estar presente em todos os jogos, que podem decidir já os semifinalistas da competição sem necessidade do terceiro confronto entre os postulantes à vaga.


 


Abrindo a rodada, a Tigre/Unisul/Joinville (SC) precisa de uma vitória para levar a decisão para a terceira partida, contra o Santander/São Bernardo (SP). Após superar o rival no primeiro confronto da fase, o time paulista precisa de um resultado positivo para avançar na competição. A partida será realizada nesta terça-feira, às 19h, no ginásio Ser Tigre, em Joinville (SC).


 


E se a vitória representa a chance do time catarinense permanecer na Superliga 08/09, o apoio vindo das arquibancadas será mais necessário do que nunca.


 


“Nossa motivação será maior, já que jogamos em casa e contamos com o apoio de nossa torcida, que é fanática. É óbvio que o resultado negativo na primeira rodada pesa um pouco, mas playoff é isso ai mesmo. Eu acredito na condição do time, na experiência de nosso grupo e no poder de reação dos jogadores”, afirma o técnico Giovane Gávio, que pensa em mudar a estratégia de saque da equipe.


 


Pelo lado do Santander/São Bernardo a meta é manter a concentração e tentar matar o confronto já no segundo jogo. Para isso, os jogadores já foram alertados sobre qual seria o caminho mais fácil: manter o bom aproveitamento da relação saque/bloqueio que a equipe teve no primeiro jogo.


 


“No primeiro jogo, tivemos um ótimo equilíbrio em todos os fundamentos. Este será o quarto jogo entre as duas equipes, e os times sabem o que pode ser feito pelo adversário. Por isso, o comportamento em quadra passa a ser fundamental. Temos que manter a determinação altíssima e muita vontade de vencer. Temos vantagem porque jogaremos por uma partida enquanto eles têm que vencer duas, mas sabemos que será difícil jogar na casa deles”, afirma o técnico Rubinho.


 


SEM MEDO


 


Representando a serra gaúcha, a Fátima/Medquímica/UCS (RS) tem uma missão difícil nesta rodada: desbancar a Cimed/Brasil Telecom (SC), atual campeã da Superliga. E a arma que poderá ser utilizada pelo time do Rio Grande do Sul será o mando de quadra.


 


Como as duas equipes se enfrentarão nesta QUINTA-FEIRA (26.03), às 21h, no ginásio Poliesportivo, em Caxias do Sul (RS), a equipe da casa promete tentar surpreender os ‘favoritos’, já que fez um jogo duro no primeiro confronto, em Florianópolis.


 


“Este será o jogo da vida nesta Superliga. Saímos de cabeça erguida do último confronto e mostramos que tínhamos possibilidade de vencer. Todos perceberam que será difícil bater a Cimed, mas eles não são invencíveis. Não podemos ter vacilos, como os da última partida. Quando isso acontece, os valores individuais deles desequilibram. Temos que tentar fazer isso também. Aproveitar os momentos certos de fechar um set ou até mesmo a partida”, afirma o técnico Luiz André Port.


 


Ciente de que tem a frieza e experiência de seus jogadores acabam pesando à favor de seu time, o treinador Marcos Pacheco, da Cimed/Brasil Telecom, espera mais um bom resultado diante da equipe gaúcha.


 


“Nosso adversário sacou muito bem e conseguiu tirar a bola da mão do Bruno em alguns momentos no primeiro confronto. Temos que ficar atentos a isso. No entanto, nos momentos decisivos, de estresse, nossa equipe se saiu melhor. Acredito que a bagagem de quatro finais de turno pesam nessa hora. Nosso time já foi colocado a prova nesta Superliga e sabe se portar nesses momentos”, afirma o treinador Marcos Pacheco.


 


COM OS PÉS NO CHÃO


 


Vivo/Minas (MG) e Ulbra Suzano Massageol (SP) se enfrentaram por uma das quartas-de-final da Superliga Masculina 08/09 na última semana. Os mineiros saíram vitoriosos e estão a uma vitória das semifinais, mas num confronto entre times tradicionais como estes a palavra de ordem é seriedade.


 


Para o confronto desta QUINTA-FEIRA (26.03), que será realizado na Arena Vivo, em Belo Horizonte, às 19h30, as duas equipes esperam manter o planejamento feito para esta fase.


 


Do lado do Vivo/Minas, a ordem é melhorar a atenção do time, que acabou perdendo o terceiro set do primeiro confronto.


 


“A vantagem é muito nossa mesmo. Temos duas partidas em casa e precisamos apenas de uma vitória. No entanto, continuamos focados em vencer nesta partida. Sabemos que será complicado e que a Ulbra possui um time forte. Se entrarmos pensando que vai ser fácil, a coisa pode se complicar ainda mais. Demos uma bobeada no primeiro jogo, perdemos o terceiro set e isso não pode mais acontecer”, afirma o técnico do Vivo/Minas Mauro Grasso.


 


Ciente de que terá uma missão muito difícil pela frente, Marcão, técnico da Ulbra Suzano Massageol, confia na capacidade de sua equipe.


 


“Deixamos o adversário sair na frente dentro da nossa casa, mas o nosso objetivo continua o mesmo: ter duas vitórias. Sabemos que ficou mais difícil, mas sei que a equipe tem condições de conquistar o resultado. Vamos para Minas acreditando. Acredito que nesta partida estaremos melhor, já que no primeiro jogo entramos nervosos, com muita expectativa de conseguir a vitória”, analisa Marcão.


 


A FORÇA QUE VEM DE CASA


 


O Sada Cruzeiro Vôlei (MG) conseguiu superar o Vôlei Futuro (SP) no primeiro jogo das quartas-de-final jogando em casa, mas pode sofrer do mesmo veneno no segundo confronto entre as equipes, que será realizado às 21h, no ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba, nesta SEXTA-FEIRA (27.03).


 


Confiante na força de sua torcida e com o retrospecto positivo em seus domínios, César Douglas, técnico do time paulista, espera uma melhor atuação de seus jogadores.


 


“O fator casa é importante, mas não pode ser tudo. Sei que podemos melhorar e errar menos. Não perdemos pelo fato de termos jogado na casa do adversário. Se fossemos mais eficientes, principalmente no ataque e no levantamento, teríamos endurecido mais o jogo. Tudo o que aconteceu estava dentro do material que foi estudado por nós. No entanto, a confiança continua. Sabemos que nossa torcida estará nos apoiando e vamos procurar ter um melhor volume de jogo”, analisa César.


 


E se a tônica no Vôlei Futuro é melhorar e contar com os gritos vindos das arquibancadas, no Sada Cruzeiro Vôlei, a expectativa é de ter uma pedreira pela frente.


 


“Vamos encontrar um jogo difícil e muito equilibrado em São Paulo. Na primeira partida, nós conseguimos uma vitória importante, mas temos que ir para Araçatuba muito focados, sabendo que vai ser um confronto totalmente diferente. A equipe está preparada para esta fase, está treinando bem e vem crescendo na competição. Temos a confiança de conquistar um resultado positivo, mas sabemos que vamos encontrar dificuldades”, explica o treinador do time mineiro Talmo de Oliveira.

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560