Federação Paulista de Volleyball

FPV

Rodriguinho um levantador formado por campeões

18 fev 2008

São Bernardo do Campo (SP)– Jogar ao lado dos melhores levantadores do país como Maurício, Ricardinho, Marcelinho e Talmo, campeões olímpicos e mundiais, é uma oportunidade para poucos. Natural de Campinas, no interior de São Paulo, o capitão do Santander / São Bernardo, Rodrigo de Gennaro Leme, de 28 anos, teve o privilégio de atuar com esses craques e não desperdiçou essa chance. Aproveitou para pegar o que há de melhor em cada um e acrescentou ao seu estilo de jogo.

“Aprendi muito com cada um deles. Eu era jovem e tive a oportunidade de jogar ao lado dos meus ídolos, o que foi muito importante para a minha carreira e para o meu crescimento. Os admiro muito e procurei aprender o que cada um tem de melhor, seja no estilo de jogar ou na personalidade, já que eles são muito diferentes. Tive um grande aprendizado”, disse o jogador.

Rodriguinho adquiriu um pouquinho das características que mais admira em cada levantador. “Do Talmo peguei a tranquilidade e a serenidade dentro e fora das quadras. No Maurício, admirava o seu toque perfeito na bola e sempre busco a sua precisão. No Ricardinho, gosto muito da sua coragem e procuro ter um pouco da sua ousadia. Já o Marcelinho é um levantador mais cadenciado e me espelho nele para colocar as bolas de segurança”, explicou.

Apesar de todo o aprendizado, Rodriguinho relembra com carinho dos momentos de novato. “Me lembro que eu jogava o campeonato inteiro de titular e quando chegavam as finais, os levantadores mais experientes voltavam da Seleção Brasileira e eu ficava no banco. Mas, eu entendia numa boa porque era jovem, tinha apenas 19 anos, e sabia que aquele momento de grande responsabilidade era deles”.

E o capitão do Santander / São Bernardo procura passar essa experiência de vida aos atletas mais jovens. “Sempre lembro esses fatos que aconteceram ao longo da minha carreira e tento passar aos mais jovens o que eu aprendi. É necessário ter muita paciência, tranquilidade, dedicação e nunca desistir, pois as oportunidades sempre surgem”, disse.

Para Rodriguinho, com o alto nível dos jogadores de sua posição na Seleção Brasileira o caminho para vestir a camisa verde e amarela é complicado. “O Brasil sempre teve excelentes levantadores e é muito difícil chegar à Seleção Brasileira, mas todo jogador trabalha para isso. Nesse momento o meu pensamento é de ajudar o Santander / São Bernardo a fazer uma boa Superliga e quem sabe chegar lá”, comentou o jogador.

Filho da técnica de Hortolândia, Maricilda de Gennaro Leme e do ex-jogador de voleibol Luis Antônio Leme, Rodriguinho teve um grande incentivo dentro de casa. “Pratiquei vários esportes, mas o vôlei já estava no sangue. Comecei no interior de São Paulo e logo depois vim para a capital. Fiz a peneira do Santander / São Bernardo por duas vezes e não consegui passar, pois ainda era muito novinho, mas minha família sempre me incentivou muito e nunca me deixou desistir. Hoje, estou muito feliz por jogar aqui depois de muitos anos e realizar um sonho de infância que era fazer parte deste projeto que é referência no voleibol brasileiro”, disse.

Assim como o levantador Rodriguinho, que está entre os melhores de sua posição na Superliga, o Santander / São Bernardo também passa por um bom momento. Após quatro vitórias consecutivas, o time do ABC Paulista segue na liderança do Grupo A no terceiro torneio da competição. Nesta quarta-feira (20), embarca para Santa Catarina onde enfrentará a Cimed na quinta-feira (21), às 20h, em Florianópolis, e a Tigre / Unisul, na segunda-feira (25), às 18h30, em Joinville para manter a invencibilidade no torneio. “Vamos jogar fora de casa contra dois adversários fortíssimos, o que tornam os duelos ainda mais difíceis. Estamos vindo de bons jogos, a equipe evoluiu muito nesse torneio e temos grandes chances de voltar com resultados positivos”, finalizou o jogador.

Fonte: Photo&Grafia Comunicação

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560