Federação Paulista de Volleyball

FPV

Ricardinho e Paula Pequeno defenderão o Vôlei Futuro

01 jun 2010



 


Fonte: Assessoria de Imprensa do Vôlei Futuro


 


Araçatuba (SP) – Após algumas propostas de times nacionais e do exterior, o levantador Ricardinho retornará ao Brasil e escolheu defender o Vôlei Futuro, de Araçatuba, interior de São Paulo. O jogador fechou contrato de duas temporadas com o time. A atacante Paula Pequeno, uma das melhores jogadoras de vôlei da atualidade, recém chegada da Rússia, onde jogou por um ano no Zarechie Odintsovo, defenderá o clube também por duas temporadas.


 


“É uma grande honra poder contar com atletas consagrados como o Ricardinho e Paula Pequeno na nossa equipe. Eles têm vários campeonatos no currículo e já foram eleitos melhores jogadores do mundo. O Vôlei Futuro, que comemora dez anos em 2011, entrará em uma nova fase a partir da chegada destes atletas”, afirma a diretora do Vôlei Futuro, Marcela Constantino.


 


Segundo Jorge Assef, procurador de Paula Pequeno, a atleta recebeu propostas de várias equipes no Brasil e no exterior, porém “abraçou”  a proposta da equipe do Vôlei Futuro de Araçatuba, e vai trabalhar sob o comando do eterno “capitão” William. “Paula, a guerreira, retorna à principal liga de vôlei do mundo. A MVP (melhor jogadora do mundo) da nossa campanha, medalha de Ouro em Pequim, concordou e realmente escolheu fazer parte de um projeto vencedor e inovador, que com certeza vai trazer ao cenário da SuperLiga 2010/2011 uma forte concorrente ao título. Apoiamos a decisão da atleta e agora vamos torcer para que a Paula e suas companheiras do Vôlei Futuro consigam brilhar na maior competição nacional de clubes, do voleibol mundial”, diz o empresário.


 


A estréia de Ricardinho no time está prevista para 20 de julho, e a de Paula, como está na seleção, pode ter passagens pelo Vôlei Futuro nas folgas, mas inicia no campeonato Paulista após o Mundial no Japão.


 


“Quando meu procurador contou sobre o interesse do time de Araçatuba, falei que me animava por ser perto da cidade onde vivo com minha família, em Maringá/PR. Também falei com a Marcela, que me transmitiu muito carinho e amor pelo projeto. Tudo isso me fez querer voltar ao Brasil e jogar pelo Vôlei futuro”, declara o levantador.


 


“Ao receber a proposta do time de Araçatuba, fiquei muito feliz. É muito bom ter a oportunidade de jogar novamente em um time brasileiro e ficar mais próxima do calor da torcida, dos amigos e da família , mas o principal ponto que me fez escolher esta às outras propostas que possuía, foi o projeto ousado e que certamente vai nos levar ao topo da SuperLiga, que hoje é o maior campeonato do mundo, e eu quero estar nele”, afirma Paula.


 


Além disso, Ricardinho comemora o fato de trabalhar na mesma equipe de seu grande ídolo, o ex-jogador da Seleção Brasileira de Vôlei William Carvalho, atualmente técnico da equipe feminina do Vôlei Futuro. “Quando conversei com o William e ele me contou mais sobre o projeto e a estrutura do Vôlei Futuro, eu me encantei no mesmo instante!”, afirma Ricardinho.


 


William também está honrado em receber o jogador e poder compartilhar experiências. “Fiquei muito feliz com a contratação do Ricardinho porque sei da importância que ele terá em nosso projeto e em nossos planos para a próxima temporada. Conheço sua personalidade e tenho certeza de que ele chega para fazer a diferença, não só tecnicamente, mas também na convivência com nossos atletas. Poderei aproveitar a experiência de um campeão olímpico e melhor levantador do mundo no treinamento das meninas. Espero fazer um intercâmbio de informações entre todos”, comemora Carvalho.


 


A satisfação do técnico em receber Paula também é grande. “Ter a Paula Pequeno no grupo é muito gratificante. Com toda a sua experiência em times nacionais e do exterior, tenho certeza de que ela fará a diferença em quadra e fora dela, colaborando tecnicamente e também com a troca de experiências”, explica.


 


Segundo Ricardinho, é muito bom retornar ao seu País e ficar próximo da família. “Posso falar que a sensação é maravilhosa. A opção de retornar veio antes de tudo pela família, que já estava com saudades de morar no Brasil. Como pai e marido, não deixei de pensar nisso. Comentei com meu procurador minha intenção, pensando que seria mais para frente, mas aconteceu neste ano e estou muito feliz”, comenta.


 


“A volta do melhor levantador do mundo ao Brasil, especificamente no projeto Vôlei Futuro, representa um marco no cenário do voleibol mundial. Um jogador que imprimiu um ritmo diferente à dinâmica do jogo, velocidade de diferentes pontos da quadra, que é ousado, guerreiro e vencedor. Características estas que estão diretamente ligadas à filosofia do projeto Vôlei Futuro. Não haveria melhor representante para expressar o desejo da torcida, em se emocionar e comemorar a cada ponto. Para mim, em especial, trabalhar com esse talentoso atleta, além de ser uma satisfação indescritível, é também uma possibilidade de ver estratégias bem executadas, já que é o melhor nesta posição”, afirma Cezar Douglas Silva, técnico da equipe masculina do Vôlei Futuro.


 


Em relação ao grupo, as expectativas dos jogadores são boas e grandes. “Sempre que começamos algo novo, esperamos o melhor, porém é muito cedo para colocarmos uma meta, pois isso tem que vir naturalmente. No entanto, tenho certeza que, com muito trabalho, suor e dedicação de todos, poderemos conquistar os nossos objetivos”, ressalta Ricardinho.


 


“Quando mudamos algo em nossa vida, esperamos um retorno positivo, novas conquistas e crescimento. Acredito que, com muita raça, força e determinação, o grupo como um todo desenvolverá um ótimo trabalho e seremos capazes de conquistar títulos para o Vôlei Futuro, projeto que abracei desde o momento que me explicaram”, afirma Paula.


 


Além disso, a experiência dos jogadores no exterior pode colaborar para a evolução do clube, já que as estratégias e planos de trabalho são diferentes, como a chegada nos play offs com a força máxima, o método para estudar o time adversário e a preocupação com o número elevado de erros durante os treinamentos e jogos.


 


Sobre o Ricardinho


 


Ricardinho é um dos maiores jogadores da história do vôlei brasileiro. Começou a carreira no Banespa, em 1983, em São Paulo. Já foi capitão da Seleção Masculina Brasileira de Vôlei e conquistou diversos títulos, como o de melhor levantador da Copa dos Campeões, de 2005, e o de melhor jogador da Liga Mundial, de 2007.


 


Os principais títulos conquistados pelas equipes nas quais Ricardinho atuou, incluindo a Seleção Brasileira, foram: campeão dos Jogos Olímpicos de Atenas 2004, seis vezes campeão da Liga Mundial (2001, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007), duas vezes campeão mundial (2002 e 2006), quatro vezes campeão Sul-Americano (1997, 1999, 2001 e 2003), três vezes campeão da Copa América (1998, 1999 e 2001), duas vezes campeão da Copa dos Campeões (1997 e 2005) e campeão da Copa do Mundo (2003).


 


Sobre a Paula Pequeno


 


Paula Pequeno é uma das melhores jogadoras da história do vôlei feminino brasileiro. Nasceu em Brasília, em 1982, e atua como atacante desde o início de sua carreira, em 1994, no clube da sua cidade natal, o ASBAC-DF.


 


Os principais títulos internacionais conquistados pelas equipes nas quais Paula atuou, incluindo a seleção brasileira, foram: medalha de ouro em Pequim onde foi eleita a MVP da Olimpíada e no Grand Prix (2008), Jogos Pan-Americanos Rio 2007,  Grand Prix e Grand Prix Macau (2005), Grand Prix Fiber CUP, Mundial (2006), Copa do Mundo (2007), Classificação no Mundial (2003), Sulamericano Chile 2007, Desafio Internacional (2007) e Salonpas CUP (2004, 2005 e 2007). Já as medalhas de campeonatos nacionais foram: Metropolitano (1999), Copa São Paulo (2005e 2006), Paulista (2004, 2005 e 2007), Superliga (2003/2004, 2005 e 2006/2007), Copa Brasil (2007) e Grand Prix Brasil (2002).

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560