Federação Paulista de Volleyball

FPV

Rexona-Ades está na decisão

12 abr 2009

 


Fonte: Local da Comunicação


Time das campeãs olímpicas Fabi e Fabiana, que é pentacampeão brasileiro, garante vaga em sua oitava final em 11 anos de história


Rio de Janeiro – O Rexona-Ades está na final da Superliga Feminina de Vôlei pela oitava vez na história da equipe. O time das campeãs olímpicas Fabi e Fabiana derrotou o Brasil Telecom por 3 sets a 0 (25/22, 25/11 e 25/16), em 1h25, na noite deste sábado, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio. Com o resultado, fechou a série semifinal melhor-de-três por 2 a 1. O Brasil Telecom havia vencido o primeiro confronto entre as equipes, em Brusque, por 3 sets a 2. O Rexona-Ades devolveu a derrota, também por 3 a 2, no segundo confronto, no Rio.


Desde 1997, quando foi criado, o Rexona-Ades fez sete finais da Superliga Feminina de Vôlei e conquistou cinco títulos (1997/98, 1999/2000, 2005/06, 2006/07 e 2007/08).


Com o ginásio do Tijuca Tênis Clube lotado (3.000 pessoas), Rexona-Ades e Brasil Telecom deram show no primeiro set, com grandes defesas, briga acirrada por cada ponto e muita vibração. A maior vantagem em favor do Brasil Telecom foi de três pontos. O Rexona-Ades abriu dois pontos com um bloqueio de Érika (20/18). O jogo ainda empatou por 21/21 e 22/22, quando o Rexona-Ades fez três pontos seguidos para fechar a parcial por 25/22, em 32 minutos.


O Rexona-Ades mandou no segundo set. Abriu cinco pontos de vantagem (5/1 e 7/2) e foi para o primeiro tempo técnico vencendo por 8 a 2, com um ponto de saque de Carol Gattaz. O Brasil Telecom ensaiou uma pequena reação (9/5), mas o Rexona-Ades retomou o controle e a diferença de sete pontos (12/5). O Brasil Telecom colaborou com muitos erros (11) e não teve forças para passar pelo bloqueio do Rexona-Ades que fechou a parcial por 25/11, em 24 minutos.


No terceiro set o Rexona-Ades voltou a sair na frente (5/2). Mas o Brasil Telecom empatou (5/5) e passou (5/7). Encostou de novo em 15/13, mas não teve forças diante de um Rexona-Ades decidido. O time do técnico Bernardo Rezende fechou a parcial por 25/16, em 29 minutos.


“Foi um jogo nervoso no início, mas conseguimos vencer o primeiro set e, a partir daí, o time funcionou taticamente e no bloqueio. A partir de segunda-feira vamos nos preparar para a final”, acentou o técnico Bernardinho.


O Rexona-Ades mostrou porque lidera a estatística de bloqueio. Fez 16 pontos com o fundamento, seis deles com Fabiana e mais cinco com Carol Gattaz, que deixou a quadra com o Troféu Viva Vôlei, depois de ir muito mal e ser substituída no segundo jogo da semifinal. “Esse troféu é do grupo, que se ajuda muito. Eu sei o quanto tive de ajuda nesta semana, que foi intensa.”


A ponta Regiane jogou com febre por causa de um resfriado. A jogadora, que também não jogou muito bem nas duas primeiras partidas das semifinais, disse que não quis nem cogitar em ficar fora desse jogo. “Precisava entrar em quadra pela superação. Deu tudo certo.”


Para a líbero Fabi, o momento mais difícil de todo o campeonato foi no último jogo, diante da possibilidade de não ir à final. “Mas aquela virada resgatou o grupo. Entramos em quadra pensando em ter paciência. Sabíamos que íamos precisar disso. Mas foi um resgate em quadra, uma ajudando a outra.”


Para a levantadora Dani Lins o time tomou um susto muito grande no primeiro jogo, ainda em Brusque, e teve de se reorganizar. “O time entrou em quadra determinado, sabendo que era o jogo da nossa vida. Era ganhar ou ganhar.” Independente do adversário, Dani Lins acha que o Rexona-Ades entra na final da Superliga fortalecido.


O Rexona-Ades teve Dani Lins, Joycinha, Carol Gattaz, Fabiana, Regiane e Érika, mais a líbero Fabi. Entraram: Monique e Amanda. O Brasil Telecom começou com Fabíola, Elisângela, Juciele, Juliana Costa, Ju Odilon e Renata Lúcia, mais a líbero Marcelinha. Entraram: Camila Adão e Nati.


O Rexona-Ades liderou a fase classificatória da Superliga Feminina de Vôlei, vencendo as finais dos quatro turnos. Fez a campanha mais regular do campeonato, vencendo 27 dos 30 jogos disputados. Na fase dos playoffs, venceu as quartas-de-final contra o Minas Tênis Clube por 2 a 0. E fechou as semifinais contra o Brasil Telecom por 2 a 1.

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560