Federação Paulista de Volleyball

FPV

Quarta rodada adia decisões no feminino

05 mar 2009

 


 


Fonte: CBV


 


Rio de Janeiro – A reta final do quarto turno da Superliga Feminina de vôlei 08/09 está cada vez mais empolgante. Com as vitórias de Finasa/Osasco (SP), Pinheiros/Mackenzie (SP), Medley/Banespa (SP) e Vôlei Futuro (SP) nesta quarta-feira (04.03), em partidas válidas pela quarta rodada da competição, a briga pelas duas vagas restantes dos playoffs e pelo direito de disputar a final desta fase continua a todo vapor.


 


Quatro clubes ainda sonham em entrar entre os oito primeiros na classificação geral e, assim, disputar as quartas-de-final da competição.


 


Mesmo com a derrota por 3 sets a 0 (19/25, 18/25 e 12/25), em 1h14 de jogo, diante do Finasa/Osasco, na Arena Vivo, em Belo Horizonte, o Minas Tênis Clube (MG) ainda depende só de si para entrar entre os finalistas. Para isso, o time mineiro precisa vencer sua última partida, contra o Medley/Banespa.


 


“Achei que o time poderia ter rendido mais contra o Finasa/Osasco. Respeitamos demais nossas adversárias e acabamos perdendo. Agora, vamos nos concentrar para ir com tudo no último jogo, que decidirá a classificação para os playoffs”, diz Jarbas Soares, treinador do Minas Tênis Clube.


 


Outro time mineiro que está na luta para entrar nas quartas-de-final, o Praia Clube/Futel (MG) também foi derrotado. No confronto com o Medley/Banespa, a equipe mineira foi derrotada por 3 sets a 0 (25/15, 26/24 e 29/27), em 1h25, no ginásio E.C. Banespa, em São Paulo, e, agora, não depende apenas de seus resultados.


 


Para entrar entre as oito melhores equipes, o Praia Clube/Futel precisa vencer seu último jogo, contra o Sport/Maurício de Nassau (PE) e ainda necessita de um resultado negativo do Medley/Banespa e do Vôlei Futuro.


 


Com o resultado positivo, o Medley/Banespa também está na luta pela classificação às finais. Para chegar lá, o time paulista precisa vencer sua última partida, contra o Minas Tênis Clube, e ainda torcer para um tropeço do Praia Clube/Futel e do Vôlei Futuro.


 


Caso perca e seus adversários diretos também sejam derrotados, o Medley/Banespa ainda terá chances. No entanto, a vaga seria decidida nos critérios de desempate da competição.


 


Satisfeito com o resultado diante do Praia Clube/Futel, o técnico do time paulista contou com uma motivação a mais.


 


“Nos preparamos bastante para este jogo. Tínhamos uma motivação a mais, já que sabíamos da importância do resultado. Enfrentamos um adversário direto na classificação para os playoffs e conseguimos anular os pontos fortes deles. Agora, temos alguns dias para nos preparar novamente para tentar mais uma vitória. Isso nos colocaria na briga para entras nas finais”, afirma Ale Rivetti.


 


O Vôlei Futuro, que também ainda têm chances de ir aos playoffs, também teve um resultado positivo nesta rodada. O time paulista superou a Cativa/Pomerode (SC) por 3 sets a 0 (25/15, 25/17 e 25/14), em 1h08, no ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba (SP), mas ainda precisa de uma combinação de resultados para alcançar o objetivo.


 


Mesmo se vencer sua última partida, contra o São Caetano/Blausiegel (SP), o Vôlei Futuro ainda precisa torcer para um tropeço de Medley/Banespa e Praia Clube/Futel.


 


Caso perca seu último jogo e seus adversários diretos também, o Vôlei Futuro ainda pode se classificar nos critérios de desempate da competição.


 


“Fizemos uma das melhores partidas taticamente. Além disso, o time esteve muito determinado e vibrante. Quando temos essa junção de fatores, não tem como não realizarmos um bom jogo. Conseguimos a vitória e, agora, nosso objetivo é ir para a última partida com este mesmo espírito. Sabemos que o São Caetano/Blausiegel é uma grande equipe, mas estaremos ainda mais motivados para conseguir um resultado positivo”, diz o treinador Glaison Raimundo, do Vôlei Futuro.


 


DECISÃO PELA VAGA NA FINAL DO TURNO


 


Assim como o Finasa/Osasco, o Pinheiros/Mackenzie também venceu sua partida. Diante do Sport/Maurício de Nassau, o time paulista fez 3 sets a 0 (25/14, 25/21 e 25/11), em 1h08, no ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo, e levou a decisão de quem será o finalista de turno do grupo B para a última rodada.


 


Ciente de que o último jogo, contra o Finasa/Osasco, pode dar mais moral ao time, a meio-de-rede e capitã Ângela explica o que passa na cabeça das jogadoras do Pinheiros/Mackenzie.


 


“Estamos focadas em conseguir nossos resultados. Foi assim hoje contra o Sport e será também contra o Finasa, na última rodada. A partida de hoje foi até mais fácil do que esperávamos, mas na ‘decisão’ da vaga para a final de turno não será assim. Sabemos da capacidade de nossas adversárias, mas vamos buscar essa vitória, assim como conseguimos no primeiro turno. Um resultado positivo nos dá muita moral”, analisa Ângela.


 


Do outro lado, o treinador Luizomar de Moura, do Finasa/Osasco, também sabe que uma vitória sobre o Pinheiros/Mackenzie será importante para sua equipe, que pode contar com a volta da ponteiro Paula Pequeno.


 


“A vitória de hoje contra o Minas Tênis Clube foi importante para darmos ritmo ao time, que enfrentará uma decisão contra o Pinheiros. Ainda não sabemos se contaremos com a Paula, que esteve relacionada entre as 12 jogadoras nesta quarta. Iremos avaliar a situação dela antes da partida e, se estiver tudo ok, ela poderá nos ajudar”, revela o treinador do Finasa/Osasco.


 

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560