Federação Paulista de Volleyball

FPV

Paula Pequeno é garantia de ataque forte do Finasa na final

04 fev 2009

 


Fonte: ZDL


 


Melhor jogadora na Olimpíada de Pequim será peça fundamental na decisão deste sábado, contra o Rexona-Ades (RJ), em Osasco


 


São Paulo (SP) – Paula Pequeno é a referência no ataque do Finasa na Superliga Feminina de Vôlei de 2008/2009. Uma das maiores atletas de vôlei da atualidade no mundo, a ponteira será peça fundamental da equipe paulista na decisão do terceiro turno do campeonato, diante do Rexona-Ades (RJ). A partida acontece sábado, no Ginásio Professor José Liberatti, em Osasco, e a entrada para o público será gratuita. O clássico de maior expressão nacional está marcado para as 21h45, com transmissão ao vivo pelo canal SporTV.


 


Em ótima fase, a capitã Paula Pequeno é a terceira melhor atacante da competição, com 27,84% de eficiência, segundo as estatísticas oficiais da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV). Mas não é apenas no ataque que ela se destaca. A camisa 4 também possui a terceira melhor defesa, com 48,83% de acertos. Carismática, ela contagia a torcida nas arquibancadas, que se exalta a cada ação diante das adversárias.


 


A polivalente Paula Pequeno foi de vital importância para a seleção brasileira conquistar a inédita medalha de ouro para o vôlei feminino nacional nos Jogos Olímpicos de Pequim. Ela própria diz que esperou muito pelo topo do pódio na principal competição esportiva do planeta. Um título que, de quebra, lhe valeu a premiação de melhor jogadora do torneio. Esse episódio vitorioso, segundo a jogadora, é um dos mais marcantes de sua carreira.


 


Antes disso, quando era nome certo para a Olimpíada de Atenas, em 2004, a brasiliense, de 26 anos e 1,85m, teve a decepção de ser cortada do grupo que foi à Grécia por causa de uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo. A volta por cima veio no Grand Prix de 2005. A ponteira retornou às quadras em grande estilo ao ser eleita a melhor jogadora do torneio. O mês de junho de 2006 reservou outro momento especial em sua vida: o nascimento de sua filha Mel.


 


No ano passado, além do ouro olímpico, a capitã do Finasa teve o prazer de levantar a taça nos principais torneios em que a equipe de Osasco participou: Copa Brasil, Salonpas Cup e Campeonato Paulista. Na atual temporada 2008/2009, ela está determinada a ajudar suas companheiras de time a conquistar o tetracampeonato da Superliga Feminina de Vôlei e, assim, fechar mais um ciclo de sua carreira com chave de ouro.


 


Nesta entrevista especial, Paula Pequeno fala de suas principais realizações como atleta e pessoa. Ela também comenta sobre a expectativa de triunfo na Superliga, sobre os dez anos de serviços prestados ao Finasa e sobre a sua vivência no clube.


 


Finasa Esportes – Como você define 2008 e qual a expectativa para este ano?


Paula Pequeno – O ano de 2008 é inesquecível para mim. Foi um período de muito mais alegrias do que de tristezas. Uma das maiores da minha carreira, o ouro em Pequim, ocorreu no ano passado. Claro, isso sem falar em todas as vitórias pelo Finasa, pois ganhamos quase tudo. O ano vai ficar marcado não só a mim, mas também para várias outras atletas. Já em 2009, espero estar preparada para novas conquistas.


 


Finasa Esportes – Quais as chances do Finasa na busca pelo tetracampeonato da Superliga?


Paula Pequeno – Vejo mil possibilidades. O nosso time tem muito a crescer na competição. E isso é bom, porque não há acomodação no grupo. O elenco sabe que pode jogar muito acima do que vem jogando. Além disso, reconhecemos que precisamos manter a hegemonia de títulos com novas conquistas. Para isso, temos melhorado a cada dia. Acho que as chances são muito boas no torneio.


 


Finasa Esportes – Como você avalia os dez anos vividos no clube?


Paula Pequeno – Estou satisfeita e feliz no Finasa. Contente pelas pessoas que conheci no clube e, provavelmente, pelas que irei conhecer. É um time muito acolhedor e que amo de paixão, a camisa que mais gosto de vestir. Quando precisei, os profissionais do Finasa foram muito amigos. Da mesma forma, quando precisaram de mim sempre fiz a minha parte. O carinho e o profissionalismo são recíprocos. Isso faz com que a relação seja tão longínqua e promissora.


 


Finasa Esportes – Você é uma das principais jogadoras do vôlei mundial. Como tem lidado com isso no decorrer dos anos?


Paula Pequeno – Levo isso com naturalidade. Acho que sempre preciso melhorar como jogadora, pois sou uma eterna insatisfeita. A cada dia sempre busco mais de mim. Até o final da Superliga, por exemplo, pretendo crescer e jogar muito mais do que venho fazendo. Tudo isso me mantém concentrada, pois o vôlei é repetição, é treino, é superação. Constantemente, procuro evoluir.


 


Finasa Esportes – Qual a sensação de ter sido campeã olímpica e, ao mesmo tempo, a melhor jogadora em Pequim?


Paula Pequeno – O ouro olímpico é inesquecível e especial. O momento da conquista só pode ser descrito por alguém que já o viveu. É uma emoção muito forte e inigualável. Não dá para compará-lo com outra situação. Com relação à premiação, foi algo para testar o coração. Não esperava por aquilo, mas foi uma surpresa positiva. No momento, só soube agradecer a Deus pelo presente. Passou um filme na minha cabeça por tudo que fiz. Esperei bastante para estar numa Olimpíada. Apesar de a espera ser longa e difícil, faria tudo de novo por aquele momento.


 


Finasa Esportes – Na Superliga, o Rexona-Ades tem sido o principal adversário do Finasa. Os dois times são favoritos ao título da edição 2008/2009?


Paula Pequeno – Existem algumas equipes que sempre tiveram possibilidades de montar uma estrutura forte, com investimentos para disputar o título da Superliga. São os casos de Finasa e Rexona. Agora, quanto ao favoritismo, precisamos ver dentro de quadra. Temos de nos manter fortes nos treinos, sabendo que os adversários também têm se preparado diariamente.


 


Finasa Esportes – As duas equipes já se enfrentaram nesta competição. Como você avalia os clássicos?


Paula Pequeno – No ano passado, já havíamos disputado a Salonpas e Copa do Brasil. Vencemos não só o Rexona, como os outros adversários diretos pelos títulos. Já no segundo turno desta Superliga, ganhamos uma e perdermos outra para o Rexona. Porém, neste confronto que tropeçamos, reconhecemos que estivemos muito abaixo do que poderíamos jogar e, mesmo assim, foi uma partida equilibrada. Agora, o importante é não deixar que, em momento algum, isso abale a equipe, pois reconhecemos nossa capacidade.


 


Finasa Esportes – A exemplo das jogadoras Sassá e Thaísa, que saíram do Rexona e foram contratadas pelo Finasa, você também poderia trocar de equipe?


Paula Pequeno – Ainda não consigo pensar sobre minha saída do clube. É claro que as propostas surgem em determinados momentos, mas sempre digo que a minha intenção é permanecer no Finasa.


 


Finasa Esportes – A poucos meses da Olimpíada de Atenas, em 2004, você sofreu uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo. Depois, em 2006, teve a filha Mel. Já em 2008, ganhou o inédito ouro olímpico. O que mais lhe marcou nesses anos?


Paula Pequeno – Todas esses períodos tiveram a sua importância. A contusão, por exemplo, foi a perda de uma Olimpíada. Aliás, a primeira na minha carreira, porque ainda era novinha. Foi um período muito doloroso não só pela contusão em si, mas também para a cabeça que ficou muito pesada. Depois, veio minha filha, que, sem dúvida, foi o maior presente para a Paula como pessoa. E a medalha de ouro, certamente, foi a maior conquista da Paula Pequeno como jogadora.


 


Finasa Esportes – Qual o próximo passo que pretende dar na carreira?


Paula Pequeno – No momento, o meu único e exclusivo pensamento na carreira é ganhar o título da Superliga. Acordo todos os dias pela manhã pensando somente nesta conquista. É o que mais quero para mim e para o Finasa.


 

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560