Federação Paulista de Volleyball

FPV

Nove vezes Brasil

26 jul 2010

 

 

Fonte: CBV

 

Brasil atropela a Rússia, vence a decisão por 3 sets a 1, e se isola no quadro de medalhas como o maior vencedor da história da competição

 

 

Córdoba (ARG) – O Brasil é o maior vencedor da história da Liga Mundial. Neste DOMINGO (26.07), a seleção brasileira masculina de vôlei conquistou o eneacampeonato da competição e agora reina de forma absoluta na galeria dos campeões. Na decisão, o time comandado pelo técnico Bernardinho superou a Rússia por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 25/22, 16/25 e 25/23, em 1h49 de jogo, no ginásio Orfeo Superdomo, em Córdoba.

 

“Foram muitas dificuldades durante essa Liga Mundial. Mas são nos momentos de dificuldades que esse grupo cresce. Costumo dizer que o problema é quando achamos que estamos em um mar tranquilo. Quanto mais tormentas passamos, melhores são as nossas atuações”, festejou Bernardinho após o jogo.

 

Na decisão, a seleção brasileira não pode contar com o oposto Leandro Vissotto. O atleta recupera-se de uma torção no tornozelo esquerdo, que aconteceu na partida da semifinal contra Cuba. Em seu lugar, jogou Théo.

 

E Bernardinho destacou a atuação de todo o grupo. “Perdemos um jogador importante. Mas o Théo entrou e fez uma partida magistral. O Bruno não estava bem, mas o Marlon entrou e teve uma atuação regular. Além disso, tivemos o Giba, que mesmo de fora, foi fundamental para os jovens jogadores. Tenho orgulho de fazer parte deste grupo”, destacou o treinador.

 

Murilo é eleito o melhor jogador

 

O Brasil encerrou a Liga Mundial com 16 jogos disputados e apenas uma derrota. E o melhor jogador da competição também foi brasileiro. O eleito foi o ponteiro Murilo. Além dele, o Brasil também ganhou o prêmio de melhor líbero: Mário Jr.

 

“Cada título tem um sabor. Não tem jeito. Esse foi um dos mais sofridos por causa de todas as dificuldades que tivemos. Conseguimos nos superar” , destacou Murilo, antes de ser premiado.

 

Fundamental na decisão, o levantador Marlon também festejou sua atuação. “Foi uma vitória difícil. Foi muita luta. Esse foi o meu principal jogo com a camisa da seleção e o meu principal título. Agora, é sonhar mais alto”, comemorou.

 

Dante, mais uma vez o maior pontuador brasileiro

 

Apesar da derrota, o maior pontuador da partida foi da Rússia. O oposto Mikhaylov marcou 20 vezes. No Brasil, quem mais marcou foi o ponteiro Dante, com 18 acertos. O oposto Théo marcou 16 vezes.

 

“Foi um jogo truncado. Muito difícil. A Rússia joga com um saque muito forte. Quando eles não erram, fica praticamente impossível jogar. A vitória foi muito importante, suada como sempre. Nada nunca vai ser fácil para o Brasil”, ressaltou Dante.

 

Melhor líbero, Mário Jr. dedica título a Serginho

 

Durante toda a Liga Mundial, ele teve a difícil missão de substituir o campeão olímpico Serginho. Após a conquista, Mario Jr. festejou duplamente. Além do título, foi eleito o melhor líbero da competição.

 

“A responsabilidade de substituir o melhor líbero do mundo era grande. Esse grupo é maravilhoso e me recebeu muito bem. Sei que o Serginho deve estar no Brasil orgulhoso. Ele foi um cara que me ajudou muito e estou torcendo muito pela recuperação dele”, destacou Mário Jr, lembrando que Serginho recupera-se de uma cirurgia na coluna.

 

O jogo

 

O Brasil começou com duas modificações em relação dos três jogos da fase final. Com uma torção no tornozelo esquerdo, o oposto Leandro Vissotto desfalcou a equipe. Em seu lugar, Théo começou como titular. A outra mudança foi tática. Bernardinho mudou os levantadores. Saiu Bruno entrou Marlon.

 

O Brasil começou bem no saque e criou dificuldades para a recepção da Rússia. Com isso, os brasileiros abriram três pontos: 11/8. O técnico da Rússia, o italiano Daniele Bagnoli, colocou o oposto Poltavskiy em quadra e ficou com dois jogadores com as mesmas características em quadra. O time da Rússia aproveitou a desatenção brasileira e empatou 12/12.

 

Rodrigão apareceu bem no bloqueio e nas jogadas rápidas pelo meio e ajudou o Brasil a chegar à segunda parada técnica com dois pontos de vantagem (16/14). Depois do ataque pelo meio-fundo de Murilo, os brasileiros marcaram 20/17. O técnico russo queimou seu último tempo da parcial, mas não adiantou. Com Murilo bem no saque e Dante finalizando no ataque, o Brasil chegou ao set-point (24/19). A Rússia ainda reagiu e diminuiu a diferença. Bernardinho pediu tempo e, na volta, Murilo deu números finais ao set: 25/22.

 

No segundo set, a Rússia ficou à frente no início da parcial (6/4). Mas foi o Brasil quem chegou ao primeiro tempo à frente (8/7). O oposto Théo mostrou que não sentiu a primeira final como titular e manteve 100% de aproveitamento no ataque. O bloqueio do levantador Marlon, de 1,88m, sobre o gigante Volkov, de 2,10m, deixou o Brasil na frente (13/12). O técnico da Rússia tirou Volkov e colocou Kazakov. A Rússia não deixou o Brasil deslanchar e manteve o set equilibrado até o 19º ponto.

 

A principal arma da Rússia, o bloqueio não conseguiu parar os ataques brasileiros. Mas o bloqueio verde-amarelo parou os ataques russos. Com dois pontos consecutivos neste fundamento, de Dante e Rodrigão, o Brasil abriu 22/19. E o ponto final do set foi do ponteiro João Paulo, que entrou na inversão do esquema cinco em um e atuou como oposto. No primeiro ponto do jogador na partida, o Brasil fechou o set em 25/22, repetindo o placar da última parcial.

 

O Brasil começou a ter dificuldades na recepção no terceiro set. Com o central Muserskiy sendo bastante acionado, a Rússia abriu 8/4 – a maior diferença do adversário durante toda a partida. Os russos marcaram bem as jogadas brasileiras e o bloqueio começou a funcionar. Após quatro bloqueios consecutivos, os europeus marcaram 15/08.

 

Pela primeira vez em todas as partidas da fase final, Bernardinho colocou o ponteiro e capitão Giba na quadra, no lugar de Dante. No entanto, o bloqueio russo estava impossível, e marcou oito pontos em todo o set. No paredão de Muserskiy, os russos chegaram à segunda parada técnica: 16/10. O Brasil não conseguiu reencontrar-se na partida e a Rússia dominou. No saque de Sidão para fora, os adversários fecharam em 25/16 e diminuíram a diferença de sets.

 

Bernardinho voltou com Marlon e Théo para o quarto set, mas manteve o central Sidão no lugar de Lucão. O Brasil sentiu a derrota na terceira parcial. O placar ficou equilibrado até o sexto pontos. Mas o saque russo dificultou a vida da recepção brasileira e os adversários abriram 9/6. O levantador Marlon acionou as jogadas com Dante pelas pontas e o Brasil encostou (13/12). E no ataque rápido pelo meio, o central Rodrigão empatou em 13/13.

 

Apesar da reação, o Brasil continuou instável em quadra. Depois de desperdiçar dois contra-ataques, o time viu a Rússia abrir novamente: 18/16. Os brasileiros se desconcentraram e pararam no bloqueio russo: 20/16.

 

A rede verde-amarela formada por Sidão, Dante e Théo ajudou o Brasil a reagir. Dois bloqueios seguidos e um contra-ataque russo errado fizeram os brasileiros empatarem em 20/20. O bloqueio de Théo sobre Krasikov selou a virada brasileira (21/20). E, no bloqueio de Dante, o Brasil chegou ao match-point (24/22). No erro de saque da Rússia, o Brasil selou a vitória: 25/23. Delírio em quadra. Festa brasileira nas arquibancadas.

 

Campeões desembarcam nesta segunda-feira em São Paulo. Bernardinho chega

no Rio de Janeiro

 

A seleção brasileira masculina de vôlei desembarcará em São Paulo, nesta SEGUNDA-FEIRA (26.07), após o encerramento da Liga Mundial 2010. Os jogadores brasileiros desembarcarão no Aeroporto Internacional de Guarulhos, no voo AR 1274, da Aerolineas Argentinas. A previsão da chegada é para as 12h35. O técnico Bernardinho chegará no Rio de Janeiro, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no vôo 7465, da Gol, às 10h.

 

EQUIPES

BRASIL – Marlon, Théo, Murilo, Dante, Lucão e Rodrigão. Líbero – Mário Jr.

Entraram – Bruno, João Paulo, Sidão e Giba.

Técnico – Bernardo Rezende

 

RÚSSIA – Grankin, Mikhaylov, Berezhko, Biryukov, Muserskiy e Volkov. Líbero – Komarov.

Entraram – Poltavskiy, Kazakov, Krasikov e Makarov.

Técnico – Daniele Bagnoli

 

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560