Federação Paulista de Volleyball

FPV

FINASA VENCE REXONA-ADES NA ESTRÉIA DA SALONPAS CUP

27 ago 2005

São Paulo (SP) – O Finasa começou bem a sua participação na quinta edição do torneio internacional Salonpas Cup, que será disputado até o dia 3 de setembro, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. A equipe paulista derrotou na estréia, nesta sexta-feira, o Rexona-Ades, do Rio de Janeiro, por 3 a 2, com parciais de 15/25, 25/20, 25/19, 21/25 e 15/12, em 1h50. Neste sábado, às 17 horas, o adversário do Finasa será o All Stars, da Bélgica, no segundo jogo da rodada, que terá na preliminar Club Proyecto Nacional, da República Dominicana, contra o Havana Clube, de Cuba, às 15 horas. A entrada no ginásio é gratuita.

Num jogo atípico, já que as duas equipes estão desfalcadas das jogadoras da seleção brasileira, Finasa e Rexona fizeram um jogo equilibrado e nervoso. Com melhor conjunto, por estar disputando o Campeonato Paulista, o Finasa, bicampeão do Salonpas, teve melhor desempenho nos momentos decisivos e, por isso, garantiu a vitória num clássico de grande tradição. Os dois times decidiram o título da Salonpas do ano passado, com vitória do Rexona, e o da Superliga, com a conquista do Finasa.

O time de Osasco, hexacampeão paulista e tricampeão brasileiro, começou o jogo muito tenso. Um exemplo disso é que deu 13 pontos por erros para o adversário no primeiro set. Depois disso, o Finasa melhorou de rendimento, venceu o segundo e o terceiro sets, perdeu o quarto e garantiu a vitória no tie-break para a emoção da torcida que esteve no Ibirapuera.

“O primeiro set não existiu. Nosso time entrou muito tenso em quadra e o passe esteve irreconhecível. Só melhoramos a partir do segundo set, quando o jogo foi o esperado, muito disputado”, comentou o técnico Paulo Coco, do Finasa.

A atacante Bia concorda com o treinador e lembra da melhora no saque no decorrer da partida. “Não conseguimos fazer as nossas jogadas no início da partida, mas depois que o nosso saque entrou as coisas melhoraram”, observou a experiente jogadora de 33 anos e 1,79m.

Mesmo como o início ruim, a levantadora Dani Lins garante que tinha confiança no desempenho do time. “Sabia desde o início que dava para ganhar. Era só impor o nosso ritmo”, disse a atleta pernambucana, de apenas 20 anos e 1,85m. “Conseguimos reagir e obter uma vitória muito importante.”

Para a próxima partida, o All Stars é uma incógnita para o técnico Paulo Coco, do Finasa. “Conheço algumas jogadoras do Havana por causa da Montreux Volley Masters, disputada na Suíça, em junho, e algumas do Proyecto Nacional que estavam no Grand Prix da Ásia, mas o time do All Stars é um mistério. A Bélgica não faz parte das seleções que disputam o circuito internacional”, comenta o treinador. “Mas buscamos informações na Internet. Sei o time é alto e que algumas jogadoras atuaram na segunda divisão da Itália.”

O Finasa folga na competição no domingo e volta a jogar na segunda-feira com o Havana Clube, já com a equipe reforçada com as quatro jogadoras que estão na seleção brasileira: Carol Gattaz, Valeskinha, Paula Pequeno e Carol Albuquerque. “Os problemas de entrosamento serão inevitáveis e, por isso, teremos de saber explorar o máximo de cada jogadora”, lembra Paulo Coco, que inscreveu 18 atletas no torneio.

O Finasa começou jogando com Dani Lins, Bia, Lígia, Viviane, Luciana, Soninha e Arlene como líbero. Entraram depois Fabiana Berto, Adenízia, Gabi e Natália. Já o Rexona-Ades, do técnico Helio Griner, contou com Fernanda Venturini, Regiane, Tatiana, Thaisa, Estefânia, Ro e Marcelinha como líbero. Também jogou Camilla Adão.

Fonte: ZDL

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560