Federação Paulista de Volleyball

FPV

Finasa fica com o vice da Superliga de Vôlei

20 abr 2009

 


Em jogo disputado e emocionante, o time paulista perdeu para o Rexona-Ades no tie-break


Rio de Janeiro (RJ) – Numa partida equilibrada e emocionante, o Finasa acabou com o vice-campeonato da Superliga Feminina de Vôlei. O time orientado pelo técnico Luizomar de Moura foi derrotado neste sábado pela manhã pelo Rexona-Ades por 2 a 3, com parciais de 25/22, 21/25, 18/25, 27/25 e 15/12, em 2h26 de partida, disputada no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Foi o quarto título consecutivo da equipe carioca.

O Finasa impôs dificuldades na grande final da 15ª Superliga. Tanto assim que teve a chance de fechar o jogo no quarto set, quanto tinha a vantagem de 24/23 e, evidente, o saque a favor. Com muita calma, porém, o adversário conseguiu virar o marcador no set mais longo do jogo, com 36 minutos.

No tie-break, o equilíbrio persistiu até o empate 10/10 e o Finasa chegou a estar na frente (11/10), mas depois não resistiu à boa defesa do time carioca, que mostrou maior tranquilidade na conclusão das jogadas.

A atacante Natália, do time paulista, foi a maior pontuadora da partida, com 31 acertos, e apontada pelas estatísticas como a melhor jogadora do confronto. A oposta Monique, da equipe carioca, ganhou o Troféu VivaVôlei, eleita a melhor atleta da final segundo a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que sempre homenageia uma representante do time vencedor.

Decepcionadas, as jogadoras não esconderam a tristeza e o choro no final da partida. A meio-de-rede Thaísa, campeã olímpica em Pequim, lamentou o fato de o time não saber jogar atrás no marcador. “Acho que ficamos na dependência de uma ou outra jogadora e não pode ser assim”, lembrou a jogadora, que ganhou o troféu de melhor bloqueio do torneio. “Não soubemos jogar atrás e virar o placar. Temos time de sobra em quadra, mas temos de ser mais decisivas.”

Paula, que jogou os cinco sets apesar das dores no joelho esquerdo, ficou muito triste. “Os sacrifícios fazem parte da carreira. Infelizmente, não fizemos mais uma vez o suficiente para vencer. Eu tinha certeza de que venceríamos, mas por algum motivo inexplicável não deu”, comentou a jogadora, que deverá submeter a uma artroscopia nos próximos dias.

Considerada a melhor atleta nos Jogos de Pequim, Paula acha difícil achar explicações. “Fica muito difícil explicar quando se perde. A gente acaba descobrindo um monte de erros que não acharíamos em caso de vitória e o jogo foi muito equilibrado.”

Sassá, tricampeã com o Rexona, procurou elogiar o adversário. “Não podemos vacilar em nenhum momento contra elas. Nem ganhando por 2 sets a 1 e em vantagem no quarto set, a equipe delas desistiu”, afirmou a medalha olímpica de ouro. “Fica uma sensação de tristeza grande porque estivemos muito perto do título, mas perdemos para um time forte.”

Luizomar, muito abatido, elogiou tanto o desempenho de seu time como do adversário. “Foi um jogo digno de final. A nossa equipe mostrou muita vontade, mas erramos em alguns momentos importantes. O Rexona-Ades mereceu a vitória e o título.”

Melhores da Superliga

Saque – Elisangela (Brasil Telecom)
Recepção – Suellen (São Caetano/Blausiegel)
Levantadora – Fofão (São Caetano/Blausiegel)
Ataque – Sheilla (São Caetano/Blausiegel)
Bloqueio – Thaísa (Finasa)
Defesa – Fabi (Rexona)

Em toda a competição, o Finasa disputou 31 partidas, com 24 vitórias e 7 derrotas. Nas quartas-de-final, a equipe eliminou o Medley/Banespa por 2 jogos a 0. Já nas semifinais, o campeão paulista derrotou o São Caetano/Blausiegel, das campeãs olímpicas Fofão, Mari e Sheilla, por 2 a 1 na série melhor-de-três.

Campeão de todos os torneios disputados como a Copa São Paulo, o Torneio Sub-21 dos Jogos Regionais, a Copa Brasil, a Salonpas Cup, o Campeonato Paulista e os Jogos Abertos do Interior, o Finasa deixou de fechar a temporada com 100% de aproveitamento por perder a Superliga.

O Finasa contou com Carol Albuquerque, Natália, Adenízia, Thaísa, Paula Pequeno, Sassá e a líbero Camila Brait. Entraram também Stephany, Ana Tiemi, Lia e Suelle. No Rexona-Ades, dirigido pelo técnico Bernardinho, teve Danielle Lins, Joycinha, Fabiana, Carol Gattaz, Érika, Regiane e Fabi como líbero. Também jogaram Amanda, Monique e Virna.

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560