Federação Paulista de Volleyball

FPV

FINASA BUSCA O TRI NA SUPERLIGA

26 nov 2004

Osasco (SP) – O Finasa recebe o Brasil Telecom, de Brasília, neste domingo, na abertura da edição 2004/2005 da Superliga Feminina de Vôlei. O jogo marca também o início da caminhada do time orientado pelo técnico José Roberto Guimarães rumo à tentativa de conquistar o tricampeonato brasileiro e inaugura um novo horário no torneio: meio-dia. A partida será disputada no Ginásio Professor José Liberatti, em Osasco, e terá transmissão pela Rede TV! e SporTV. A entrada no ginásio é gratuita.

Zé Roberto espera outra boa campanha da equipe e o objetivo é chegar à quarta final consecutiva. Ele acredita que a competição será disputada e vai exigir muito. Por isso, o Finasa vem treinando em um ritmo forte. “Nossa equipe vem melhorando na velocidade, no sincronismo das jogadas e a tendência é de continuarmos evoluindo a cada dia”, destacou.

Ele acha que a partida contra o Brasil Telecom é preocupante. “Existe a expectativa da estréia, que sempre provoca uma certa ansiedade. Além disso, nosso time é o atual campeão, vamos estar diante de nossa torcida e o jogo será mostrado por duas emissoras de televisão”, lembrou. “É um momento importante e causa um certo nervosismo. Mas esperamos que nossa equipe supere bem esses aspectos e faça uma boa partida.”

Para o treinador, o Brasil Telecom é uma equipe que conta com uma levantadora experiente, a Estela, que já atuou em Osasco. Tem um ataque forte e um bom bloqueio. “Eles têm ainda a Denise, que jogou pelo Finasa na Copa São Paulo deste ano, a Viviane, Ana Paula, Dani Berto, Juciely, Thaís, Flavinha. É um bom elenco, comandado por William, outro técnico experiente. O adversário vai dar trabalho”, completou.

O Finasa tem algumas novidades para a competição deste ano. A levantadora Gisele e a líbero Arlene, ex-MRV, reforçaram o time, assim como a meio-de-rede Carol, ex-São Caetano. Todas as outras jogadoras estavam no grupo que conquistou o bicampeonato da Superliga, em abril, derrotando o MRV/Minas.

A meio-de-rede Valeskinha, que vai tentar participar simplesmente da oitava final consecutiva da Superliga, é uma das mais animadas. “Vamos ter de trabalhar muito para manter nossas conquistas”, disse a jogadora de 28 anos e 1,80 m. “A conquista do título paulista já é passado. Temos agora de nos concentrar na Superliga, a competição mais importante da temporada.”

Além de Valeskinha, Gisele, Arlene e Carol, Zé Roberto contará com Luciana, Érika, Bia, Paula, Danielle Lins, Ana Cristina, Mari, Nikolle e Daniela. O grupo poderá ser reforçado por algumas jogadoras da equipe juvenil, ainda a serem definidas.

De acordo com o sistema de disputa do torneio, os times jogarão todos contra todos em turno e returno. Os oito mais bem colocados passam para as quartas-de-final, com o seguinte cruzamento: 1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º, em playoffs melhor-de-três jogos. As quatro equipes vencedoras disputarão as semifinais (melhor-de-cinco), com o vencedor de 1º x 8º enfrentando o ganhador de 4º x 5º e o de 2º x 7º jogando contra o vencedor de 4º x 5º. Os ganhadores lutarão pelo título na final (também em melhor-de-cinco).

Na Superliga 2003/2004, o time de Osasco venceu 26 das 29 partidas disputadas. Foram 81 sets ganhos e apenas 23 perdidos. A equipe ficou 20 partidas invictas (ganhou as 18 da fase de classificação e as duas das quartas-de-final). O time só perdeu a invencibilidade na primeira rodada das semifinais para o Rexona-Ades (3 a 1, em Osasco). Outra façanha da equipe foi o recorde do público da competição. O terceiro jogo do playoff final, disputado no Ibirapuera, reuniu 8.676 pessoas (o maior público da edição 2003/2004 tanto da Superliga masculina quanto da feminina).

Fonte: ZDL

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560