Federação Paulista de Volleyball

FPV

Duelo de canhões em Osasco pela Superliga Feminina

10 fev 2010

 


 


Fonte: CBV


 


Tandara, da Cativa/Oppnus, e Natália, do Sollys/Osasco, – as duas maiores pontuadoras da competição – duelam na segunda rodada do returno


 


Rio de Janeiro, 09/02/2010 – Elas fazem parte da mesma geração do voleibol brasileiro. Em 2005, foram campeãs mundiais infanto-juvenis, em Macau. Dois anos mais tarde, na Tailândia, subiram novamente no lugar mais alto do pódio. Desta vez, no Mundial Juvenil. Agora, nesta quinta-feira (10.02), Tandara e Natália estarão frente a frente pela Superliga Feminina 09/10. A partir das 19h30, o Sollys/Osasco (SP), de Natália, receberá a Cativa/Oppnus (SC), de Tandara, no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP), em partida válida pela segunda rodada do returno.


 


Tanto Natália quanto Tandara são as jogadoras responsáveis pelas bolas de segurança de suas equipes. A eficiência no ataque faz com que elas liderem o ranking de maiores pontuadoras da Superliga. Tandara é a primeira colocada, com 221 pontos – 183 de ataque, 233 de bloqueio e 15 de saque. Natália está na segunda colocação a 15 pontos da líder, com 166 acertos no ataque, 30 no bloqueio e 10 no saque.


 


O Sollys/Osasco lidera a Superliga, com 25 pontos, em 13 jogos – 12 vitórias e apenas uma derrota. A mesma campanha do Pinheiros/Mackenzie (SP). No entanto, o time de Osasco leva vantagem no primeiro critério de desempate: o set average (divisão dos sets vencidos pelos perdidos). Já a Cativa/Oppnus ocupa a oitava colocação, com 18 pontos, em 13 partidas – cinco triunfos e oito resultados negativos.


 


O Sollys/Osasco estreou no returno com vitória sobre o Pauta/São José (SC) por 3 sets a 0. Já o Cativa/Oppnus voltou a dar trabalho para uma das equipes consideradas favoritas ao título. Contra a Unilever, o time catarinense dificultou a partida e só foi derrotado no quinto set. Na última rodada, o time de Brusque/Pomerode voltou a dificultar a vida de um adversário que está na briga direta pelo título. A Cativa/Oppnus abriu 2 sets a 0 diante do Pinheiros/Mackenzie, mas não conseguiu fechar a partida e foi derrotado no tie-break.


 


Natália: “Não podemos cair nesta armadilha”


 


Na última partida do Sollys/Osasco, Natália foi poupada pelo técnico Luizomar de Moura devido a uma contratura nas costas. No entanto, a oposto já está pronta para retornar e continuar a disputar ponto a ponto a liderança do ranking das maiores pontuadoras contra Tandara.


 


Natália lembra com carinho do convívio com Tandara na seleção brasileira. “Foram quatro anos de uma intensa convivência na seleção. Também jogamos juntas por uma temporada aqui em Osasco. É bom vermos que as atletas daquela nossa geração estão se destacando. É a prova de que formamos uma equipe muito forte”, conta Natália, de 20 anos e 1,86m.


 


Quarta colocada no ranking de ataque, com 24,62% de eficiência, Natália lembra que independente da disputa particular com Tandara, o Sollys/Osasco precisa sair com mais uma vitória para manter a liderança. “Vou entrar em quadra sedenta pela vitória. E temos que ter atenção porque a Cativa/Oppnus vem sempre tirando uns sets dos adversários e dando trabalho. Temos que ter cuidados para não entrar nessa dança e cair nessa armadilha”, diz Natália.


 


Tandara promete muita força no ataque


 


Natural de Brasília, Tandara chegou à Cativa/Oppnus nesta temporada com um único objetivo. “Troquei de time porque queria atuar mais, jogar bem e ajudar o meu time. E estou conseguindo”, diz a atacante, que, na última Superliga, defendeu o Pinheiros/Mackenzie.


 


Tandara está feliz com seu desempenho. “Era isso que eu queria. Estou satisfeita por jogar efetivamente e ajudar meu time”, conta a atleta que promete um duelo a parte contra Natália. “Será um jogo de muita força no ataque, tanto do nosso lado quanto do deles”, destaca a atacante de 21 anos e 1,84m.


 


O bom desempenho da Cativa/Opnnus contra os times favoritos ao título empolga Tandara. “Era isso que queríamos: incomodar. Nosso objetivo é dificultar ao máximo os times considerados favoritos e ganhar dos outros. Queremos chegar aos playoffs numa boa colocação. E vamos em busca disso”, diz a jogadora.


 


Luizomar: “Tandara terá uma marcação especial”


 


Técnico das seleções de base do Brasil, Luizomar de Moura conhece bem o jogo da oposto Tandara. Ele foi o treinador do Brasil na conquistas dos títulos mundiais infanto-juvenis e juvenis da jogadora. Nesta quinta-feira, Luizomar estará do outro lado, no comando do Sollys/Osasco, e terá uma das suas pupilas como adversária.


 


“A Tandara é uma jogadora forte. Sempre foi uma das nossas apostas nas seleções de base. Ela tem um bloqueio e um ataque muito pesado e que ajudam no decorrer da partida. Nesta Superliga, ela está muito bem, com uma média de quase 20 pontos por jogo. Vamos estudar bem o jogo dela e, com certeza, ela terá uma marcação especial”, conta Luizomar de Moura.


 


O treinador lembra com carinho da geração que comandou nos dois títulos mundiais. “Fico muito feliz em ver a maioria das jogadoras daquela geração campeã indo bem em seus clubes e tendo destaque nesta Superliga”, diz Luizomar, que pede atenção para a equipe da Cativa/Oppnus.


 


“É um time bom, que tem dificultado a vida dos favoritos ao título desta Superliga. Fez um jogo complicado contra a Unilever e poderia ter vencido. Na última rodada, contra o Pinheiros também deu um susto. Precisamos entrar em estado de alerta porque a Cativa/Oppnus está brigando para ficar entre os oito primeiros que passarão para os playoffs”, avaliou Luizomar de Moura.


 


Bloqueio x Saque


 


O confronto terá outro duelo à parte: o melhor bloqueio contra o melhor saque da Superliga. O Sollys/Osasco é o líder do bloqueio, com 24,39%. Já a Cativa/Oppnus é a líder no saque, com 5,78%.


 


Outros nomes se destacam nas estatísticas. Pelo Sollys/Osasco, a ponteira Jaqueline é a sexta colocada no ataque, com 22,67% de aproveitamento. A meio de rede Adenízia é a quinta no bloqueio, com 27,27%. A ponteira Verônica, da Cativa/Oppnus, é a 10ª colocada no saque, com 6,86% de eficiência.


 


Sollys/Osasco e Cativa/Oppnus já duelaram nesta Superliga. Foi na segunda rodada do turno em Pomerode (SC). O time paulista venceu por 3 sets a 1.


 


Outros jogos


 


Mais cinco partidas movimentarão a segunda rodada do returno. Às 18h, o Pinheiros/Mackenzie receberá o Pauta/São José (SC), no ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo. Às 19h, no ginásio Baetão, em São Bernardo do Campo, o São Bernardo (SP) duelará contra o Vôlei Futuro (SP). Em São Caetano do Sul (SP), a Blausiegel/São Caetano (SP) enfrentará o Praia Clube/Banana Boat (MG), às 19h30, no ginásio Lauro Gomes.


 


Dois jogos serão realizados em Belo Horizonte. Às 20h, no ginásio do Mackenzie, o Mackenzie/Newton Paiva (MG) receberá o Macaé Sports (RJ). Enquanto às 20h30, a Usiminas/Minas (MG) terá pela frente a Unilever (RJ), na Arena Vivo.

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560