Federação Paulista de Volleyball

FPV

Começa a briga por uma vaga na final da Superliga Feminina

04 abr 2008

Rio de Janeiro – A emoção tomará conta, a partir deste fim de semana, com o início das duas séries melhor de três jogos das semifinais da Superliga feminina de vôlei 07/08. Neste sáabado (05.04), o Pinheiros/Blausiegel (SP) receberá o Rexona-Ades (RJ), às 17h, no ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo. No domingo (06.04), Brasil Telecom (SC) e Finasa/Osasco (SP) medirão forças, às 12h30, na Arena Multiuso, em Brusque (SC). Ambas partidas serão transmitidas ao vivo pelo canal Sportv.

Dos times presentes nos playoffs, dois já conquistaram a Superliga. O Rexona-Ades, maior vencedor, ganhou quatro edições da competição (97/98, 99/00, 05/06 e 06/07). O Finasa/Osasco pode igualar a marca do time carioca, já que é tricampeão (02/03, 03/04 e 04/05).

Na atual temporada, o Brasil Telecom realiza a melhor campanha da sua história. Anteriormente, o sexto lugar (obtido nas edições 04/05 e 05/06) era o principal resultado do time. Já o Pinheiros/Blausiegel, quarto colocado em três oportunidades (97/98, 99/00 e 03/04), tenta chegar pela primeira vez à final.

De acordo com as estatísticas oficiais da Superliga feminina 07/08, o Rexona-Ades é o time mais eficiente no ataque (25,62%), saque (5,72%), defesa (46,37%), levantamento (22,70%) e recepção (45,55%). A meio-de-rede Thaisa e a levantadora Dani Lins lideram, respectivamente, os rankings de saque (9,52%) e levantamento (29,70%). O Pinheiros/Blausiegel é o vice-líder no ranking de ataque (24,23%) e o terceiro colocado na recepção (42,46%).

Os quatro times contam as maiores pontuadoras da competição até o momento. A oposto Joycinha, do Pinheiros/Blausiegel, lidera o ranking com 337 acertos em 21 jogos. Logo a seguir está a também oposto Lia, do Brasil Telecom, com 326 e o mesmo número de partidas. A meio-de-rede Fabiana, do Rexona-Ades, é a terceira colocada (312 pontos em 23 jogos), enquanto a ponteira Paula Pequeno, do Finasa/Osasco, está em quarto lugar (292 em 24 partidas).

O Finasa/Osasco, time mais bem colocado no ranking de bloqueio (25,89%), ocupa o segundo lugar na defesa (40,11%). Além disso, tem as líderes das estatísticas individuais de ataque e bloqueio, que são, respectivamente, a ponteira Paula Pequeno (25,38%) e a meio-de-rede Adenizia (35,38%).

O Brasil Telecom é o vice-líder no bloqueio (22,67%) e o terceiro time mais eficiente na defesa (37,81%). Neste último fundamento, inclusive, a oposto Lia, da equipe de Brusque (SC), é a primeira colocada no ranking (48,40%).

EXPECTATIVA PARA AS SEMIFINAIS

Finasa/Osasco x Brasil Telecom

Carol Albuquerque, levantadora do Finasa/Osasco – “Será um confronto complicado. O ponto forte da equipe adversária é o bom volume de jogo. É preciso ter bastante paciência para chegar à grande final da Superliga. Nos últimos dias, treinamos em função das características do time de Brusque, para minimizarmos as suas virtudes”.

Maurício Thomas, técnico do Brasil Telecom – “Brigaremos de igual para igual com o Finasa/Osasco, mas sabemos que é um time forte, com jogadoras diferenciadas. Algumas, inclusive, já conquistaram títulos pela Seleção Brasileira. Nesta Superliga, ainda não vencemos o Finasa/Osasco, que merece todo respeito”.

Rexona-Ades x Pinheiros/Blausiegel

Renatinha, oposto do Rexona-Ades – “Fizemos boas partidas nas quartas-de-final, apresentando bom volume de jogo e regularidade. Foi importante fechar a série em duas partidas, pois o time teve mais tempo para se preparar. Precisamos ser mais eficientes no bloqueio, fundamento no qual ainda estamos deixando a desejar. O Pinheiros/Blausiegel defende muito bem e tem ótimo volume de jogo. Além disso, costuma ter uma grande velocidade no ataque. Então, é essencial que nosso saque funcione para atrapalhar a organização de jogadas do adversário. O Rexona-Ades deve entrar atento, pois todo time que chega a uma semifinal tende a crescer”.

Marcos Kwiek, técnico do Pinheiros/Blausiegel – “Não há como negar o favoritismo do Rexona-Ades, que foi o primeiro colocado durante o campeonato inteiro e conta com a base da Seleção Brasileira. Das jogadoras que costumam começar as partidas, todas já defenderam a Seleção Brasileira. No entanto, quando o jogo começar, todas lutarão de igual para igual. Estamos muito felizes pela classificação para a semifinal e precisamos deixar isso de lado agora, a fim de focarmos o duelo com o Rexona-Ades. Será um adversário dificílimo. É fundamental apresentar um grande voleibol e, ao mesmo tempo, torcer para que uma ou duas jogadoras do Rexona-Ades não estejam em um bom dia. O saque da Joycinha melhorou bastante nas últimas rodadas e a deixou mais confiante. Teremos de sacar bem e em momento algum podemos deixar cair a concentração. Será fundamental manter o padrão e ter uma performance equilibrada”.

Fonte: CBV

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560