Federação Paulista de Volleyball

FPV

Cativa bate o São Bernardo e fica com o título

16 ago 2009

Fonte: CBV


 Juazeiro do Norte (CE) – Em uma partida emocionante e digna de duas equipes que conquistaram na quadra o direito de disputar a Superliga de Vôlei 09/10, o título da Liga Nacional Feminina 2009 ficou com a Cativa/Oppnus/Santa Catarina (SC). A equipe de Santa Catarina venceu a batalha de cinco sets e 2h42 contra o São Bernardo (SP) por3 a 2 (24/26, 25/19, 21/25, 29/27 e 19/17) e ficou com a medalha de ouro da competição, disputada no ginásio Poliesportivo de Juazeiro do Norte (CE). O terceiro lugar ficou com a também catarinense Rio do Sul, que venceu a Fênix do Rio Verde (GO) por 3 sets a 1 (25/21, 20/25, 25/8 e 25/13), em 1h35.


 O resultado final da Liga Nacional 2009 comprova a força do Estado na competição. Disputada desde 2002, a Liga Nacional já viu outras quatro equipes femininas catarinenses subirem ao lugar mais alto do pódio: a Buettner Vôlei, em 2003, a Furb/BluVôlei, em 2005, aCimed/Brasil Telecom, em 2006, e a Brusque/Brasil Telecom, em 2007.


 “Foi um grande jogo. Fizemos um estudo sobre a equipe do São Bernardo e conseguimos desenvolver uma boa tática para enfrentá-las. O time paulista conta com jogadoras muito experientes e sabe como levar a partida. Estivemos em situações bastante adversas ao longo do jogo, mas não desistimos nunca. Mas esta vitória não nos ilude. Estamos apenas iniciando o projeto e ainda temos muito a melhorar”, comenta o técnico Rogério Portela.


Na decisão, o treinador lançou mão de duas de suas mais jovens atletas, a levantadora Flavia, de 19 anos, e a oposto Tandara, de 20, que tiveram desempenho determinante na vitória. A atacante do time catarinense, campeã mundial infanto-juvenil em 2005 e juvenil em 2007, marcou 18 pontos no jogo e foi a maior pontuadora da equipe na final, com dois a menos que a central Bia, do São Bernardo.


 “Essa é a minha função na equipe. Não participo da recepção justamente para ficar livre para vir com tudo na hora do ataque. Quando a bola sobe na minha frente, tenho que bater com força nela”, brinca a oposto, que prevê uma grande evolução da equipe até a Superliga.


 “Iniciamos os treinamentos há apenas dois meses, então ainda temos muito a melhorar até a Superliga, especialmente na recepção, onde tivemos alguns problemas na decisão. Mas o time tem muito potencial e garanto que daremos muito trabalho aos rivais”, afirma.


 O desempenho da atacante rendeu elogios até do técnico rival, José Alexandre Devesa. “Foi um jogo muito estudado dos dois lados. No final, a Tandara foi praticamente perfeita e fez a diferença. É uma jogadora de nível de seleção brasileira. Mas saio satisfeito com a minha equipe. Fizemos uma ótima final e um belo papel na Liga Nacional”, comenta.


 Aos 19 anos, a levantadora Flavia substituiu a capitã Karine e deu conta do recado. Comandando a equipe com personalidade, a jovem promessa deu outro ritmo aos ataques catarinenses.


 “Entrei bastante tranqüila, concentrada em ajudar a equipe da melhor maneira possível. Procurei colocar todas as atacantes para jogar, pois esta é a principal função de uma levantadora”, comenta a jovem levantadora, que justificou sua opção por acionar Tandara seguidamente no fim do jogo.


 “Ela estava exausta, mas estava virando todas as bolas a nosso favor. Não tinha outra escolha a não ser acioná-la”, brinca.


 O desempenho da dupla satisfez ao técnico Rogério Portela, que comemorou o fato de tê-las no elenco. “É muito gratificante ver que tenho no elenco duas jovens como a Flavia e a Tandara, que é um pouco mais rodada. São jogadoras capazes de resolver uma partida”, vibra o treinador.


 O JOGO


 O set inicial da decisão teve inúmeras reviravoltas no placar. No começo, a liderança era da equipe paulista, que com dois pontos de saque de Bia e um bloqueio de Ruiz fez 8/5 no primeiro tempo técnico. Pouco depois, usando seu bloqueio com Pully e Fê Ísis, as catarinenses passaram a frente (11/9) e chegaram a ter quatro pontos de vantagem (20/16) quando Edna conseguiu um ace. Na reta final,o São Bernardo mostrou força, tirou a diferença e virou o placar, fechando em 26/24 após um bloqueio de Bia.


 Na segunda parcial, quem saiu na frente foi a Cativa/Oppnus/Santa Catarina, que chegou a ter 9/3 a seu favor. No entanto, após uma boa reação, o São Bernardo empatou o jogo no décimo primeiro ponto após um erro de recepção de Verônica. Recuperando o ritmo do início do set, as catarinenses fizeram 16/12 com um bloqueio de Edna. No final, Fernanda Ísis atacou para selar a vitória: 25/19.


 O terceiro set começou favorável à equipe do interior paulista, que logo abriu 5/2 no marcador. Com Fê Ísis vencendo uma disputa na rede, as catarinenses passaram a frente em 9/8 e chegaram a fazer 12/10. Conseguindo seis pontos consecutivos, dois em erros das adversárias, o São Bernardo foi para o segundo tempo técnico com uma vantagem confortável: 16/12. A diferença foi mantida até o fim da parcial, quando novo bloqueio de Bia concluiu o set: 25/21.


 No quarto set, o domínio foi do São Bernardo do início ao fim. A equipe paulista logo abriu 4/1 no marcador. Tirando proveito do nervosismo das rivais, as paulistas conseguiram uma seqüência de seis pontos, encerrada por um ataque da central Bia, que deixaram a equipe bem próxima da vitória: 17/9. Melhor no fundo da quadra e liderada pela oposto Tandara na rede, a equipe catarinense conseguiu uma reação impressionante e empatou o set no 22o ponto, antes de virar e fechar o set em 29/27 após um ataque errado de Ruiz.


 O set decisivo permaneceu equilibrado até o quarto ponto, quando as catarinenses aproveitaram dois erros consecutivos da experiente Ruiz para abrirem frente: 8/4. Mostrando força, as paulistas reagiram e passaram a frente na reta final, com um bloqueio de Talita: 11/10. Após um ataque de Nega, a diferença saltou para dois pontos: 13/11. No final, quando a vitória parecida definida, as catarinenses voltaram a virar a partida e fecharam o jogo em 19/17 após um ace de Tandara.


 


 EQUIPES


 CATIVA/OPPNUS/SANTA CATARINA (SC) – Karine, Tandara, Pully, Suelle, Edna e Fê Ísis. Libero – Tica


 Entraram – Verônica, Flavia, Bruna e Claudinha.


 Técnico – Rogério Portela


 SÃO BERNARDO (SP) – Ananda, Nega, Ana Paula, Talita, Bia e Ruiz. Líbero – Ju


 Entraram – Marcinha, Priscila, Cida e Aline.


Técnico – José Alexandre Devesa

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560