Federação Paulista de Volleyball

FPV

Brasil é bicampeão da Copa do Mundo

02 dez 2007

Giba, Escadinha e Dante brilham entre os melhores

Tóquio (JAP) – A Seleção Brasileira entrou no Tokyo Metropolitan Gymnasium, neste domingo (02.12), com o primeiro objetivo assegurado: a classificação para os Jogos Olímpicos de Pequim. Faltava confirmar o bicampeonato da Copa do Mundo masculina de vôlei. E ele veio, como sempre, de forma emocionante: vitória sobre o Japão, por 3 sets a 1, parciais de 23/25, 25/21, 25/19 e 25/18, em 1h46 de jogo. Foi o 21º título do time em 26 competições sob o comando de Bernardinho, que assumiu o cargo de treinador em 2001. A Rússia, medalha de prata, e a Bulgária, de bronze, também asseguraram as vagas olímpica.

O oposto André Nascimento, com 23 acertos, foi o maior pontuador, enquanto o ponteiro Dante recebeu o prêmio de melhor jogador da partida. Este último, inclusive, foi eleito o melhor atacante da competição. Outros brasileiros foram premiados: capitão Giba (MVP, melhor jogador da Copa do Mundo) e Sergio Escadinha (melhor líbero), que também esteve na disputa pelo troféu de melhor jogador.

O técnico Bernardo Rezende fez uma breve análise da partida. “Foi um jogo muito difícil, além de ter sido tenso como o de ontem. Conseguimos controlar os japoneses, tanto no segundo quanto no terceiro set. Eles vieram para o tudo ou nada, arriscando no saque. Mas conseguimos ter a maturidade demonstrada durante a competição e chegamos à vitória”.

Sobre a reabilitação do Brasil dentro da própria competição, Bernardinho explicou. “É difícil uma equipe se manter invicta durante oito anos. Além disso, essa equipe teve momentos importantes com a entrada do Marcelinho, que havia treinado e jogado pouco com o time”.

O treinador brasileiro comentou sobre o equilíbrio na disputa pelas vagas restantes para os Jogos Olímpicos. “A briga no Pré-Olímpico Europeu será dura, com Itália, Polônia, Sérvia e Espanha, assim como na Norceca, com Estados Unidos e Porto Rico, estes dois últimos que fizeram boas campanhas na Copa do Mundo. Estudaremos bastante os prováveis adversários olímpicos e faremos uma auto-avaliação do Brasil”.

Para a preparação aos Jogos Olímpicos, Bernardinho adianta que na Liga Mundial fará testes. “O fato de as finais da Liga Mundial serem realizadas no Brasil não é tão bom assim. Usarei a competição como preparação para os Jogos Olímpicos e todos tentarão ganhar do Brasil em sua casa. A idéia seria usar todas as fichas na equipe, para testá-la. Teremos de pensar e planejar o trabalho”.

Com a volta dos jogadores aos clubes, Bernardo adianta o que é necessário fazer até a convocação para a próxima temporada. “Daqui até as Olimpíadas, cada jogador, onde quer que esteja, terá de buscar dentro de si o melhor para poder crescer”.

Maior pontuador da partida, André Nascimento reconheceu os méritos do Japão no primeiro set e elogiou a atitude do Brasil nos demais. “Nosso time entrou com a postura correta. O Japão venceu com méritos o primeiro set. Arriscou tudo no saque e nos desestabilizou. Mas, depois, encontramos o nosso jogo e chegamos à vitória”.

Sobre a frase de Giba ‘André merecia o prêmio (de melhor jogador da Copa do Mundo), o Canhoto foi categórico: “Não… Fiz a minha parte, assim como todos fizeram. O importante é que o sistema de jogo do time funcionou e conseguimos os objetivos, que eram a classificação e o título”.

André Nascimento aproveitou para analisar os desempenhos dos adversários dessa Copa do Mundo. “Todos as seleções estão evoluindo. E, principalmente, têm estudado bastante a forma de jogar do Brasil. Os adversários querem descobrir a fórmula para nos derrotar e as partidas têm sido equilibradas”.

O erro na listagem oficial do time do Japão no quarto set (quando o placar estava 7 a 2 para o japão e todos os pontos japoneses foram retirados por causa da falha) também foi lembrado pelo Canhoto. “Deus agiu a nosso favor. O Japão estava conseguindo uma seqüência de saques e a partida estava complicada naquele momento”.

O líbero Escadinha comentou as dificuldades que o time teve com o saque adversário. “O jogo foi difícil. O Japão sacou forçado o tempo todo e, em alguns momentos, não conseguimos colocar a bola para o alto, nem no meio da quadra. O que valeu foi o resultado de 3 sets a 1, que nos garantiu a medalha de ouro”, encerra.

EQUIPES

BRASIL – Marcelinho, André Nascimento, Giba, Dante, Rodrigão e Gustavo. Líbero: Sérgio.Entraram: Bruninho, Samuel e Anderson.Técnico: Bernardinho.

JAPÃO – Usami, Yamamoto, Ishijima, Koshikawa, Matsumoto e Yamamura. Líbero: Ogino. Entraram: Tomimatsu e Tomonaga. Técnico: Tatsuya Ueta.

Fonte: CBV

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560