Federação Paulista de Volleyball

FPV

Brasil derrota o Canadá e segue invicto

15 jun 2007

Belo Horizonte – Líder e invicta. A Seleção Brasileira adulta masculina de vôlei manteve, nesta sexta-feira(15.06), 100% de aproveitamento e chegou aos 14 pontos no grupo A da fase classificatória da Liga Mundial 2007. A sétima vitória na competição foi alcançada diante do Canadá, por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/20 e 25/13. O duelo, válido pela quarta rodada, teve duração de 1h08 de jogo e foi realizado no Ginásio do Mineirinho, com a presença de 13.120 torcedores. Neste sábado (16.06), as equipes voltam a se enfrentar nos mesmos horário e local, com transmissão ao vivo da TV Globo.

O Brasil deu mais um passo para se classificar matematicamente às finais da competição. Após a vitória de hoje (sexta), a equipe precisa de outra amanhã (sábado) e de duas derrotas da Finlândia diante da Coréia do Sul, hoje (sexta) e amanhã (sábado), além de manter a vantagem no ponto average (divisão entre pontos ganhos e pontos perdidos), primeiro critério de desempate do regulamento desta Liga Mundial.

A Seleção Brasileira iniciou a partida com Anderson como oposto e Samuel na ponta pela segunda vez seguida na competição. E Anderson foi o maior pontuador do confronto, com 14 acertos. Samuel e o Murilo fizeram 11 pontos, cada, e foram os outros destaques do Brasil. Também começaram o jogo o levantador Bruno, o ponteiro Murilo, os meios-de-rede Gustavo e Rodrigão e o líbero Alan. No time canadense, quem mais pontuou foi o ponteiro Cundy, com 12 acertos.

Após a partida, o técnico brasileiro, Bernardinho, analisou a vitória. “Voltamos a ver o Samuel bem. O Anderson também e foi muito utilizado. Foi um teste razoavelmente bom. O Canadá, que falhou algumas vezes durante o jogo, tem um bom bloqueio e um ataque pesado. O Brasil não sacou muito bem no início, mas depois conseguiu ser consistente. Começaremos a partida de amanhã (sábado) com uma outra formação. Só não devo mudar na posição de líbero e um dos meios-de-rede”, explica o treinador.

Relacionados para o jogo, o meio-de-rede André Heller, o capitão e levantador Ricardinho, o oposto André Nascimento e os ponteiros Nalbert e Dante ficaram como opções no banco. A cada tempo técnico e solicitação de tempo, eles incentivavam os demais jogadores.

O espírito coletivo é uma das principais características do grupo, como explica Anderson, que após a partida elogiou a união e a força do conjunto da Seleção Brasileira. “O trabalho é feito para todos, ou seja, todos trabalham no mesmo ritmo. O grupo não conta com 12 jogadores. São 16 atletas e, quem entrar, vai dar conta do recado”, diz.

O JOGO – O Brasil esteve à frente do Canadá no placar do início ao fim do primeiro set. Após o ataque de Anderson, o time verde-amarelo chegou ao primeiro tempo técnico com três pontos de vantagem (8/5). Na segunda parada técnica, a vantagem aumentou: 16/10, no ataque de Samuel. Com o oposto Winters bem no ataque, o Canadá diminuiu a diferença para dois pontos (20/22). O técnico Bernardinho solicitou tempo, orientou os jogadores e a equipe fechou a parcial em 25/21, após uma corta de Anderson.

O segundo set deu seqüência ao ritmo do primeiro. Numa “bola de segunda” do levantador Bruno, o time brasileiro fez 8/5. A partir daí, a vantagem aumentou e chegou a ser de seis pontos. Na cortada de Anderson, que explorou o bloqueio adversário após levantamento de Alan, o Brasil selou 25/20.

No terceiro set o Brasil administrou o placar desde o início. No ataque de Anderson, a equipe deslanchou no marcador, com uma vantagem de oito pontos (14/6). Após um ataque de Gustavo, os brasileiros ampliaram: 21/11. Tranqüila, a equipe ditou o ritmo do jogo e, num saque para fora de Dodds, fechou a parcial e o jogo: 25/13.

Autor de sete pontos, o meio-de-rede Rodrigão contou que a atuação não foi das melhores, mas lembrou que aos poucos a equipe adquire ritmo de jogo. “Cometemos alguns erros. Não fizemos uma partida espetacular. Estamos melhorando a cada dia. E é isso precisamos trabalhar forte para chegarmos bem às finais. Queremos obter a classificação o mais rápido possível para termos pelo menos uma semana de treinamento intenso com todo o grupo”, analisa Rodrigão.

Após a partida deste sábado (16.06), a Seleção Brasileira jogará mais quatro partidas fora de casa, duas contra os canadenses e outras duas diante da Finlândia.

ANÁLISE DOS JOGADORES

ALAN, líbero – “Temos de respeitar o Canadá. Hoje (sexta), o time deles não jogou bem, mas pode nos surpreender. Foi fácil, mas cometemos alguns erros e temos que nos concentrar ainda mais. Jogamos com uma formação de passe diferente, eu, Samuel e Murilo. Temos de ter tranqüilidade amanhã (sábado) para fazer um jogo melhor. Abrimos seis pontos e os caras encostaram. Isso não pode voltar a acontecer”.

ANDERSON, oposto – “Foi muito legal. Fico feliz por ter sido o maior pontuador, ainda mais jogando em casa, com a camisa da Seleção Brasileira. Acho que foi a primeira partida que joguei do início ao fim aqui”.

SAMUEL, ponteiro – “É sempre bom vencer por três sets a zero. Amanhã (sábado), temos de entrar do mesmo jeito. Teremos algumas mudanças na equipe, mas, com certeza, manteremos o mesmo nível de jogo”

BRUNO, levantador – “O time está mais entrosado. Em todas as partidas eu tenho começado um pouco nervoso, mas depois consigo jogar mais solto. Isso é importante porque eu como levantador é quem dito o ritmo da partida. Precisamos melhorar a cada dia. Tenho a certeza de que a Seleção continuará evoluindo e chegará bem às finais”.

GUSTAVO, meio-de-rede – “Conseguimos manter o ritmo de jogo do início ao fim da partida. Isso foi inegável. A vitória até certo ponto foi tranqüila. Jogamos o suficiente para vencer”.

MURILO, ponteiro – “Sacamos bem e o bloqueio funcionou de novo. A equipe do Canadá não ofereceu tanta resistência quanto esperávamos. Melhor para a gente. Conseguimos nos divertir um pouco dentro de quadra, um time mesclado de jovens e experientes atletas”, diz o jogador, que quando o placar marcava 23/12, passou por baixo da rede, salvou a bola, retornou para a quadra brasileira e bloqueou, marcando 24/12. “É normal. Não é a primeira vez que acontece. Se a bola passar fora da antena, temos que lutar para buscar. A sorte que na volta o canadense atacou para o meu lado, senão não iria bloquear nunca”, completou o jogador que neste momento foi aplaudido por todo o ginásio.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Anderson, Samuel, Murilo, Gustavo Endres e Rodrigão. Líbero: Alan. Técnico: Bernardinho.

CANADÁ – Munday, Winters, Lewis, Cundy, Youngberg e Grapentine. Líbero: Wolfenden. Entraram: Mainville, Koskie, Brinkman e Dodds. Técnico: Glenn Hoag.

Fonte: CBV

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560