Federação Paulista de Volleyball

FPV

Brasil conquista inédita medalha de bronze

27 jul 2009

 


 


Fonte: CBV


 


Mexicali (MEX) – Superação. Esta é a palavra que define a vitória do Brasil sobre a Bulgária na disputa pela última vaga no pódio do Campeonato Mundial 2009. Neste sábado (25.07), a seleção brasileira juvenil feminina de vôlei garantiu a primeira medalha de bronze de sua história depois de uma virada sensacional para cima da equipe búlgara: 3 sets a 2 (19/25, 21/25, 25/18, 25/21 e 19/17), em 2h03 de jogo, no ginásio Auditoria Del Estado Ciudad Deportiva, em Mexicali.


 


“O segredo desta equipe foi a superação. Não desistimos do jogo em nenhum momento e mantivemos a concentração na medalha de bronze. Não conquistamos o ouro, mas esse time é guerreiro e estamos muito felizes pelo trabalho que fizemos”, vibrou a levantadora Roberta, uma das remanescentes do grupo que terminou o Mundial infanto-juvenil de 2007 na quinta colocação.


 


Passada a derrota para a República Dominicana na semifinal, a hora era de dar a volta por cima e garantir o terceiro lugar. Foi o que fez a equipe hexacampeã mundial (87/89/01/03/05/07). Depois de um começo sem brilho, marcado por erros de recepção e defesa, o time comandado por Antonio Rizola garantiu a vitória em um tie break emocionante.


 


“Uma equipe com a força do Brasil sempre fica derrotada quando perde uma semifinal. E esta equipe soube se superar, esquecer a derrota e se concentrar na busca do bronze. Este time era muito frágil emocional e tecnicamente, mas o grupo conseguiu evoluir em todos os aspectos. Em nenhum momento desistimos do jogo. No último set, estávamos perdendo por 14/11 e conseguimos a reação. Depois de 20 anos de trabalho nas seleções brasileiras, esta medalha de bronze me deixou emocionado. Este grupo deu ao Brasil o melhor que poderia dar”, comemorou Antonio Rizola.


 


No último e decisivo set, a seleção brasileira contou com uma força extra para chegar à vitória. Os torcedores que lotaram o ginásio em Mexicali e as jogadoras da Holanda que assistiam à partida apoiaram a equipe do início ao fim aos gritos de “Vamos Brasil!”.


 


“O apoio da torcida foi essencial para a nossa reação. Ela foi a sétima jogadora. Todos incentivaram a nossa equipe e nos sentimos em casa”, afirmou a emocionada capitã Letícia.


 


Na seleção desde o começo do ciclo, em 2006, Letícia passou por lesões no joelho desde o início da carreira. Superadas as dificuldades, ela comemorou a conquista do bronze.


 


“Parece que nem perdemos a semifinal. A sensação que temos é a de que fomos campeãs. Estamos muito felizes pela medalha de bronze. Valeu pela união da equipe e pela superação a cada jogo”, concluiu Letícia.


 


Na final desta 15ª edição do Campeonato Mundial, a Alemanha venceu a República Dominicana por 3 sets a 0 (28/26, 26/24 e 25/16) e conquistou o primeiro título mundial juvenil de sua história.


 


O jogo


 


O primeiro set começou equilibrado e disputado ponto a ponto. Se por um lado o sistema defensivo brasileiro não ia bem, por outro, a equipe da Bulgária apresentava problemas no saque. Na primeira parada técnica obrigatória, o placar apontava 8/7 para as búlgaras.


 


Apesar do equilíbrio durante a maior parte da parcial, a seleção brasileira não conseguia acertar o ataque e a Bulgária começava a crescer na partida: 19/17. E foi assim até o fim do primeiro set. Com maior poder ofensivo, a Bulgária fechou em 25/19.


 


No segundo set, a equipe verde-amarela não conseguiu corrigir os erros apresentados no primeiro e viu as búlgaras abrirem 8/4. Pecando na defesa e na recepção, a seleção brasileira não conseguiu voltar para o jogo e a Bulgária, eficiente no ataque, manteve o domínio. O ponto do set veio depois de mais um erro da recepção brasileira: 25/21.


 


O Brasil entrou com outra postura para o terceiro set. Disposta a reagir, a equipe verde-amarela começou fazendo 7/2. O bloqueio e o ataque brasileiros voltaram a funcionar e o time se manteve à frente: 16/13. No fim, vitória brasileira: 25/18.


 


Apesar de começar o quarto set em desvantagem (8/4), o Brasil conseguiu a reação e chegou ao empate: 10/10. Tendo o bloqueio, mais uma vez, como o ponto forte da equipe, o time brasileiro equilibrou definitivamente a partida: definiu a parcial em 25/21 e levou a decisão do bronze para o tie break.


 


O quinto set fechou com chave de ouro o grande jogo protagonizado por Brasil e Bulgária. Depois de estar em desvantagem no placar (14/11), a seleção brasileira começou uma reação espetacular e, em bloqueio da oposto Isadora, empatou a partida (14/14). A partir daí, emoção ponto a ponto. Por fim, vitória garantida pelo bloqueio brasileiro: 19/17.


 


EQUIPES


 


BRASIL – Roberta, Isadora, Letícia, Glauciele, Mara e Ana Beatriz. Líbero – Le Pontes


Entraram: Diana, Leticia Hage, Natiele e Nathalia. Técnico – Antonio Rizola


 


BULGÁRIA – Nikolova, Grigorova, Vasileva, Rabadzhieva, Tsvetanova e Bogdanova. Líbero – Kolchagova Entraram: Kitipova, Boncheva, Andreeva e Ruseva. Técnico – Gunchev Stoyan

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560