Federação Paulista de Volleyball

FPV

Argentina conquista título inédito

20 out 2008

 


Fonte: CBV


 


Poços de Caldas (MG) – O Brasil ganhou três prêmios no Campeonato Sul-Americano Infanto-Juvenil masculino de vôlei, encerrado neste domingo (189.10), na cidade mineira de Poços de Caldas. O ponteiro Ary foi eleito o melhor jogador e recepção, e o capixaba Eickman o melhor saque. Depois de ganhar o primeiro set com tranqüilidade, a seleção brasileira parou no bloqueio argentino que, pela primeira vez, quebrou a hegemonia brasileira no continente ao vencer, de virada, a 16ª edição da competição por 3 sets a 1, com parciais de 15/25, 25/16, 25/22 e 25/12, após 1h34 minutos. As duas equipes entraram em quadra já classificadas para o Campeonato Mundial da categoria, que será realizado em agosto de 2009, na Itália.


 


A lista dos melhores do Sul-Americano foi completada por Kervin Pinerua, da Venezuela (maior pontuador e melhor atacante), Juan Finoli (levantador), Sebastian Sole (bloqueio) e Facundo Hehn (líbero) – todos da Argentina -, e Victor Ruiz, da Colômbia (defesa).


 


Apesar dos prêmios de melhores, a tristeza estava estampada nos rostos de Ary e Eykman.


 


“Trocaria dois, três, quatro prêmios pelo título. Merecíamos o título para fechar com chave de ouro. Fico triste pela equipe. Ganhamos o primeiro set e depois relaxamos. A Argentina jogou muito bem taticamente”, disse Ary.


 


Esta foi a primeira derrota da comissão técnica do Brasil desde 94 e em 19 competições. O treinador Percy Oncken destacou o desempenho dos argentinos.


 


“O título foi mérito deles. Jogaram muito bem. Sacaram e bloquearam bem”, analisou Percy.


 


O técnico da Argentina, Juan Cichello, que também comandou a equipe campeã do Sul-Americano Juvenil no domingo passado, fez questão de, mais uma vez, ressaltar a importância do trabalho feito pelo Brasil.


 


“O Brasil ajudou muito no crescimento do vôlei no continente sul-americano. A felicidade é enorme. É o momento mais feliz da minha carreira. São três anos de trabalho duro. O time ainda tem deficiências, mas algumas peças contribuíram para o resultado”, afirmou Juan.


 


Quem também acompanhou a vitória foi Daniel Castellani, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Seul em 88, e pai do jovem Ivan Castellani, e um dos melhores jogadores de sua geração.


 


“A felicidade hoje é muito maior. A emoção é completamente diferente. A Argentina tem um grupo de jovens muito promissores. Onde eles podem chegar, não sabemos. É um trabalho a longo prazo”, afirmou Daniel Castellani.


 


O JOGO – O início do set inicial foi equilibrado, e no primeiro tempo técnico o Brasil chegou com a vantagem de 8/7. Com jogadas pelo meio-de-rede e com os erros dos adversários, a seleção brasileira chegou a 16/10. O 21º ponto do Brasil veio depois que a Argentina já estava comemorando o seu ponto, mas os jovens brasileiros fizeram a defesa duas vezes.


 


O bloqueio da seleção brasileira conseguiu amortecer o ataque argentino contribuindo para a defesa. No saque do levantador Eykman vieram o 23º e o 24º pontos. Um erro dos adversários deu a vitória ao Brasil por 25 a 15, em 22 minutos.


 


Com um bloqueio e três erros do Brasil, a Argentina abriu 4 a 0 no segundo set. Após o primeiro tempo técnico conseguiram se manter na dianteira até o fim. Bem na defesa e nos contra-ataques, os argentinos também se beneficiaram com os erros da seleção brasileira, principalmente, no saque.


 


Depois de o Brasil colocar 7/5 no placar no terceiro set, a Argentina chegou ao primeiro tempo técnico na frente com um ponto de bloqueio. O equilíbrio durou até o empate em 13 iguais. A partir daí, a defesa e o bloqueio argentinos funcionaram. Do lado brasileiro foram seis erros.


 


Com o placar de 24/21 a favor da Argentina, o Brasil ainda esboçou uma reação com dois bloqueios seguidos. Mas em um erro do time brasileiro, veio a vitória dos argentinos por 25 a 22.


 


O quarto set foi totalmente dominado pelos argentinos, e foi quando o bloqueio mais marcou: nove pontos.


 


O Brasil jogou com Eykman, Otávio, Victor, Aldren, Luan e Ary. Líbero – Gentil. Entraram Marcelo, Dionísio, Lucarelli, Hamacher e Bernardo.


 


A Argentina jogou com Juan Finoli, Ivan Castellani, Sebastian Sole, Frederico Franetovich, Gustavo Vaca e Andrés Ribone. Líbero – Facundo Hehn. Entraram Martim Ramos e Gonzalo Quiroga.


 


NÚMEROS DO JOGO


 


BRASIL


Ataque – 35


Bloqueio – 7


Saque – 3


Pontos nos erros do adversário – 30


 


ARGENTINA


Ataque – 40


Bloqueio – 20


Saque – 3


Pontos nos erros do adversário – 27


 


CLASSIFICAÇÃO FINAL


1º – Argentina


2º – Brasil


3º – Venezuela


4º – Chile


5º – Colômbia


6º – Peru


7º – Paraguai


8º – Uruguai

Veja também:

Rua Dr. Rafael de Barros, 596
CEP: 04003-043 - São Paulo, SP
(11) 3053-9560